sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Flores na Janela


Da minha janela
Vejo flores azuis
Faço versos em tons lilás, azuis e vermelhos
Decifro a tristeza dos olhares sem cor
A vagar pelas esquinas
E a luz amarela do poste confunde-se
Com a melancólica cor amarela
E os vestígios azuis da tarde
Cedem lugar à fuga das cores.
E a noite chegou......

9 comentários:

RosaMaria disse...

Então eu acho que é a hora de colocar todos os SONHOS cor de rosa na MALA e recomeçar a Viver ...

Oi querida!
Gostei muito do seu cantinho :))

Beijos!

หคтнყ disse...

Quando tu disse: " Decifro a tristeza dos olhares sem cor".
Isso mostra que a infelicidade é algo opaco e sem cor.
Que mesmo nós, não vendo podemos
sentir

Gostei
Bjõ.

Marília Felix disse...

Sil, amei o seu blog querida!
Os textos, as imagens, tudo aqui é belo! Parabens flor!

Beijos pra ti!
:-)

sirlenesouza pedagoga disse...

Lindo, lindo os seus versos! Por um acaso passei por aqui, mas por muitos motivos virei sempre aqui! Amo poesia! Beijos!

Suzana Martins disse...

Ahh.... os olhares vistos da janela.

Janelas que enfeitam flores, palavras e céu. janelas e seus olhares dispersos, impressos... Sempre janelas!!

Beijos linda

Helinha disse...

Querida Sil...

Tenho o hábito de ver cores e música em tudo, por isso esse seu texto teve tudo a ver comigo! Às vezes a noite chega e as cores fogem em qualquer hora do dia... porque isso acontece dentro da gente!!

Lindo o texto, perfeito!!

Beijos!!

Max Psycho disse...

Muito bom o texto sil, qem dera todos pudessem enxergar a magia das flores e das cores

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Que lindo poema!! Tão lindo quanto todos os que você escreve... divino!

Flores, cores, sons, momentos... tudo isso se conjuga em incríveis sensações!

Parabéns e continue expondo cada vez mais seu talento!

Beijos!!!!

Teresa Cristina disse...

O Azul é a cor da fé! Lindo. Bjus