domingo, 26 de fevereiro de 2012

BRASÍLIA EM FLOR DE QUARESMEIRA, por João Ludugero


Quanta beleza
que há
nessas coisas
singelas 
que estão por aí, 
à torta e à direita 
nesta Brasília menina,
além do concreto armado.
Quanta poesia 
se desabrocha em cores
num simples olhar 
esplêndido
quando a quaresmeira 
dá seu grito lilás 
na manhã azul 
da paisagem
como que 
a nos incitar 
a olhar e ver
que viver tem 
lá seus propósitos.

2 comentários:

RosaMaria disse...

Ei João meu amigo, sempre versos repletos de delicadezas e glamour.

Boa semana pra ti.
Beijo!

Richard Mathenhauer disse...

Quaresmeiras e suas flores são enfeites que duram muito e deixam as ruas e praças com cores suaves e calmantes. Rubem Alves dizia que os politicos deveriam ser jardineiros... Seria bem melhor cuidar, regar, aguardar, valorizar a vida e o belo nas grandes e pequenas demonstrações que ela (a vida) nos oferece.

Abraços.