quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

De_Vagar


Partindo - me em partes desconexas
Desconheço-me.
Já não sou lebre lépida,
Faceira
Quando espero.
Fiz-me séria quando não queria
Tentei ser quieta quando precisava.
Parti-me.
Desconheço a imagem no espelho
Já não encontro minha alegria.
Enquanto procurava
Perdi-me.
Estilhacei em pedaços disformes
A existência.
Por ser rígida demais nas minhas crenças,
Quebrei-me.
Se, por ventura você me encontrar por aí
Devolva-me.

6 comentários:

Sil Villas-Boas disse...

Clau

Sempre é bom a gente se perder e se encontrar em suas letras e versos.
Bjussss
Sil

Tatiana Kielberman disse...

Na minha humilde opinião, acho que a gente sempre se encontra e se devolve, uma para a outra, a cada conversa e a cada encontro...

Amizade é isso, como você bem diz: a possibilidade de ser aquilo que se é!

Sei que tal fato não consola a imagem que nos representa no espelho, principalmente quando ela não é tão agradável para a alma quanto gostaríamos...

Mas, acredito que, um dia, tudo pode ser... e mudar.. e transformar a essência em algo mais próximo do nosso ideal - se é que ele existe!

Lindo, lindo poema...

Um beijo da amiga que te ama!!

Cláudia Costa disse...

Sil,

Querida e linda, a vida anda me engolindo os dias e as horas. Perdoe-me por não estar conseguindo figurar aqui no Girassóis com a frequência que eu gostaria, espero que, em breve eu retome o eixo das coisas e volte a ficar mais presente.

Obrigada pelo carinho e oportunidade de figurar entre seus lindos girassóis, apesar das falhas.

Um beijo carinhoso,

Claudia

Cláudia Costa disse...

Tati,

Você sempre tem estrelas no olhar e delicadeza na alma. A gente se perde e se reencontra muitas vezes, é fato.

Obrigada por estar por perto mesmo quando o meu eu sai pra dar uma volta prolongada.

Bjs.

João Ludugero disse...

Sempre é gratificante ler seus poemas. Eles adentram a alma da gente e fazem alar o coração, aliando a tuas letras o sentido de catar aos pedaços o eu, que,mesmo estilhaçado, volta a se inteirar com tuas palavras benditas. És grande ó menina, linda de viver!!!! Beijos.

Cláudia Costa disse...

João meu lindo poeta,

Suas palavras sempre me afagam, me incentivam e acarinham. Obrigada por ser tão querido, por me ler e por ser tão receptivo. És imprescindível.

É um prazer te ler aqui, saber-me lida por tão profundo amante das letras.

Bjks carinhosas sempre.