terça-feira, 20 de novembro de 2012

RESIGNAÇÃO, por João Maria Ludugero


Toda crente, ela segura um terço,
Reza uma novena, um rosário de contas sem fim,
Só pra achar um meio de trazer de volta seu ex-amor.
Em preto e branco, acende a penumbra
com velas de todas as cores e credos.
E dentro da luz das velas, aquece a alma.
Seu coração em chamas não se cala ao desvelo,
Faz ladainha, oferendas e ex-votos,
Chora lágrimas de sangue aos quatro cantos
E vê Nossa Senhora desatando seus nós...
A santa fala com ela através do manto
E ela renova seus eternos votos de silêncio.
Se apega na fé ao apelar por todos os santos.
Justo ela que nunca foi santa,  
Ainda acredita no milagre porvir.  
Questão de tempo... Laço desfeito.
Ela descobre que a outra venceu. 
Mesmo assim, nunca cansa de agradecer. 
É que o companheiro arrumou outra filha de Deus... 
Uma santa! Tão boa com seus filhos!

Nenhum comentário: