segunda-feira, 18 de novembro de 2013

DONA MARIA DALVA: MINHA MÃE-ESTRELA AMADA, por João Maria Ludugero


DONA MARIA DALVA: MINHA MÃE-ESTRELA AMADA,
por João Maria Ludugero.

Mãe, és a alma mais amada
que tanto neste mundo viveu
Ouve a voz do teu filho João
A te chamar pelo tempo ao desvão
Para provar que não te esqueço,
Linda estrela do meu coração!

Caminho entretido na vida, 
E a alma minha entrelaçada
A esperar com resignação
O momento certo do nosso reencontro.
Eu sei Mãe, nunca iremos esquecê-la,
Só lamento tua partida ao céu,
Mas sei que é momentânea nossa separação
Porque um dia nos reencontraremos
Numa outra vida,
Num outro plano!

O amor puro e verdadeiro
Não se perde no vazio da lida.
Diante da promessa de nosso bom Deus
Sei que está longe de vivermos essa eternidade
Mas é para ti que escrevo essa poesia
Ao quebrar um pote de fantasias
Doces momentos se abrem pra sempre
Contigo em meu pensamento,
Apesar do meu coração partido!

Fico nessa vida,
Rio de alegria...e choro...
E brota escondida lágrima de tristeza
Dos olhos meus que ainda brilham,
Apesar do corpo inerte 
Assim tão cheio de saudades
Do teu abraço de mãe estrelada
Tu que eu nesse mundo tanto queria,
Lembras dos carinhos deste filho teu!
Alinhada fica essa poesia



E uma rosa a dizer adeus!

Nenhum comentário: