sábado, 9 de novembro de 2013

GRANDE SENHOR ODILON LUDUGERO, MEU PAI! por João Maria Ludugero

GRANDE SENHOR ODILON LUDUGERO, MEU PAI!
por João Maria Ludugero

Odilon Ludugero da Silva:
Este homem que eu admiro tanto,
Com todas as suas virtudes e também com seus limites.
Este homem com olhar de menino varzeano, 
Sempre pronto e atento, mostrando-me o caminho da vida, 
Que está pela frente, disposto a correr dentro e alto.

Este mestre contador de histórias
Traz em seu coração tantas memórias,
Espalha no meu caminhar firmes esperanças,
Coragem, certezas e confiança.

Este homem destemido soldado, alegre e brincalhão,
Mas também, às vezes, silencioso e pensativo,
Homem de Fé e grande luta, de uma alma imensa,
Sensível, generoso e filho da ilustre benzedeira
Dona Dalila Maria da Conceição!

O abraço aconchegante a me acolher, este Homem,
Meu pai, com quem aprendo a viver.
Pai, grande amigo de todas as horas, paizão...
Meu velho, engenheiro das minhas raízes, conselheiro leal:
Como é infinito teu coração varzeano.

Seu Odilon Ludugero da Silva, 
Esposo da ilustre e inesquecível 
Dona Maria Dalva, minha Mãe querida.
Agradeço, Pai, por orientar o meu caminho,
Feito de lutas, incertezas e glórias,
Mas também de valiosos acordes 
De muitas esperanças e sonhos!

Nenhum comentário: