domingo, 12 de outubro de 2014

DE COR E SALTEADO, QUE NADA! por João Maria Ludugero

 
 
 
  
 
 
DE COR E SALTEADO, QUE NADA!
por João Maria Ludugero

Então, a professora Zilda Roriz de Oliveira,

Desmuniciada, sem esmorecer, respondia:
- Chega de preconceito de cor,
Qualquer que seja o cabimento.
Ninguém é de uma raça.
Que negócio mais entisnado é esse de querer
Ser melhor em razão de determinada etnia?
As raças- dizia ela - são fardas que vestimos,
De volta-ao-mundo, a correr dentro e alto
Na astuta lida, dia-após-dia!




Nenhum comentário: