quarta-feira, 1 de outubro de 2014

GARATUJAS: KIRO EM ACORDES DE SONHOS, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
GARATUJAS: KIRO EM ACORDES DE SONHOS,
por João Maria Ludugero

Sonhar é alvorecer em ávidas asas afoitas
De ouro e aço, a partir do coração a ambicionar
O céu; é dominar o espaço e se firmar astuta
Depois de tantas luas, a voar dentro e alto,
Num voo poderoso e audaz desde Nova Canaã...

É fugir ao mundo que se fizer mesquinho
Ou vil, tão vão que, sem cansaço, engana,
E só menospreza, e zomba, e até calunia;
Kiro-Rapunzel, enfim, no deslumbrante alcance
De um sonho puro e bom, de paz e de alegria,
Sem medo da cuca, a exorcizar todos encostos
Sob o pálio real de suas destemidas tranças...

É ver o verde-musgo dos seixos, dia-após-dia,
Esfiapar nas nuvens seus bichos em garatujas,
Na bunda de um pirilampo um sol pequeno e belo;
É realçar constantemente o olhar ao céu profundo.
Sonhar é ter um grande ideal no chão-de-dentro:

Tão vasto que não cabe inteiro nesta vida, Kiro,
Tão puro feito sanhaço só que esvoaça arteiro
E não vive em nichos assombrados deste mundo.

Nenhum comentário: