quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sementes de Amizade

Dias desses fui à praia, após um tempão sem aproveitar um dia de sol de frente pro mar, relaxando numa cadeira e tomando minha cervejinha. Enquanto meu marido curtia a água, fiquei brincando com a areia, remexendo e fazendo buracos, feito criança. Nestes movimentos de arrastar e segurar, consegui reter uns grãos de areia, enquanto os outros caíam aos poucos de minhas mãos. Assim são as pessoas que encontramos na vida. Algumas conseguimos guardá-las em nossas mãos, corações e mentes. Outras, infelizmente, vão embora. Talvez por não existir uma sintonia recíproca, talvez por não se entenderem nos seus pontos de vista e opiniões, ou outros motivos existentes.

Algumas pessoas que conheci, se tornaram maravilhosos amigos e amigas para mim. Outras, como os grãos de areia caídos, acabaram indo embora, e nunca mais pude ver ou conversar com elas de novo. Mas nosso pouco tempo de convivência foi algo maravilhoso e enriquecedor. Aprendi muito com elas.

Queria muito poder rever e reatar as amizades que perdi. Sei que elas vieram para mim por algum motivo especial, e que nunca vou descobrir qual é. Uma coisa que pude perceber é que estas amizades que entraram e saíram de minha vida, nunca foram totalmente embora. Elas deixaram um pouco das sementes delas plantadas em meu coração. Sementes doces e amargas. Mas que nunca serão jogadas fora. Pois até mesmo as amargas, transformei-as em preciosos ensinamentos pra mim.