quinta-feira, 2 de junho de 2011

A Amante do Beija-Flor no Jardim dos Girassóis

Por: Cláudia Costa

Nessa tarde, de outono,
Avistei meu beija-flor
Aquele, dileto,
Por quem rezo para que ainda me lembre flor.
Ele estava lá, beijando outras flores
Fecundando-as com suas palavras
Engravidando-as com seu amor...

Vai beija-flor
Que não se sabe meu,
Que não mais, me enxerga flor...

Ainda assim, lhe dedico uma prece
Peço que não deixe de fecundar
Seja lá a flor que for,
Com suas tão profundas palavras

Que um dia, já invadiram meu mundo
Me engravidaram de amor
Até que eu renascesse vida.

Acredito que a prece seja atendida,
Pois em resposta, o Universo me acalentou
Me trouxe um convite, uma honra, um carinho:
Pra eu parar de chorar baixinho
Porque a partir de hoje
Esquento tardes de outono
No Jardim dos Girassóis.

E aqui, dividindo com tantos outros sóis
Um jardim tão lindo e bem cuidado
Tenho absoluta certeza,
Não hão de faltar beija-flores...

6 comentários:

Vanessa_Oliveira disse...

Simplesmente divino.
bjim ***

Adriana Aleixo disse...

Amei!!! Leve e colorido para brindar minha manhã maravilhosa!
Parabéns pelo blog! Estou me deliciando!!! Bjo!

Sil Villas-Boas disse...

Bom dia Cláudia
Seja Bem Vinda ao Jardim dos Girassóis.

Que liiiindo post a pousar aqui, no nosso Jardim. Amei e dorei de paixão. Obrigada por aceitar meu convite para juntar-se ao nossa equipe de 'Jardineiros Poetas" .
Bjusss de beija-flor em você.
Sil

João Ludugero disse...

Olá, Claudia,
Boa tarde!
Que sejas bem-vinda ao nosso sítio engirassolarado. Eu não sou assim um beija-flor, mas sou um bem-te-vizinho. Gosto de Poesia. Hoje cuido bem do meu jardim, rego as mudas, e elas crescem se carregam de flores... Aprendi a conviver com os espinhos que existem misturado aos aromas. Logo estou aprendendo a lidar, a cuidar do mato, das ervas-daninhas, a podar as roseiras... E nem montei espantalho aos passarinhos. Eles me furtam sementes, mas que acabam por espalhar outras que germinam pelos outros jardins da vida a fora. Fico feliz que minhas plantas estão se multiplicando pujantemente. E, aos beija-flores, deixo-os soltos, assim como prisioneiros em liberdade vigiada. Não quero engaiolar o que nasceu para ser avoante. Eu preservo os beija-flores, que vivem disso e dos bebedouros que propaguei pelo jardim. Eu tenho um coração passarinheiro, mas que não se deixa ser arapucado pelos alçapãos da vida. Gosto de ver a alegria do sol chegando nas flores, admiradas de perto pelos beija-flores. Vez por outra, ainda me espeto nos cardos, mas é só para lembrar que o jardim também é deles. Viver é pois maravilhosomente belo... E aqui no jardim dos girassóis, há sol, até na ausência dele.
Mega abraço do
João Ludugero, poeta.

Paulo disse...

Bem vinda Cláudia, o "Jardim" é nosso, mas agora estará bem mais florido.
A Sil, nossa idealizadora, tem sempre,idéias brilhantes, parabéns a ela também.

Cláudia Costa disse...

Amigos queridos de escrita e leitura,

Obrigada pelas boas vindas. Bom ser recebida e aconchegada por vocês.

Carinhos nos corações.

Bjks.