terça-feira, 30 de agosto de 2011

......Poemizando

Florbela Espanca

Eu quero amar, amar perdidamente.
Amar só por amar.
O meu mundo não é como o dos outros,
  quero demais, exijo demais; há em mim 
uma sede de infinito, 
uma angústia constante
que eu nem mesma compreendo.