terça-feira, 12 de abril de 2011

Palavras frias

Autor: Paulo Diesel



Olho
insistentemente
o azul escuro
desta noite sombria.
Vejo
estrelas escondidas
atrás de nuvens carregadas
sopradas por um vento tímido.
Sinto
Mudanças
que arrepiam
e deixam a pele fria
Penso
nas perguntas e
nas respostas
que não alcanço.
Desisto
e volto
às estrelas e nuvens e ventos
a procura
de perguntas
e respostas
impregnadas
na pele fria
que se arrepia.


Publicado originalmente aqui http://movidoavapor.com/