quarta-feira, 13 de julho de 2011

TÊM DIAS

Por: Cláudia Costa


Têm dias que acordo FLOR
E antes de levantar já atraio beija-flores,
Bons olhares, admiradores, e toda sorte de amores

Têm dias que acordo DOR
Dou de não querer nada, não olhar pro lado,
Nem perceber ninguém. Sinto dores, temores
E mal de amores dentro de mim

Têm dias...
Bem...têm dias...que acordam sóis
Me chegam de leve como girassóis,
Devagar me arrancam dos lençóis
Me trazem sons de teclados ou violinos...
Têm sabor beijos e de vinhos
São dias suaves esses...

Têm dias que acordo AMOR
Nesses dias posso tudo!
Posso ser Gigante e ganhar o mundo
Sussurrar baixinho perto do ouvido
Posso ser bem menina e precisar profundo
Acalentar num abraço inteiro,forte e mudo

Têm uns dias que acordo NULO
Sou incógnita e de tudo desconfio
Também tudo topo, se me parecer instigante
Sou isca fácil pro mistério, do qual logo me canso
E eu canso!

Têm dias...esses são muitos...que acordo...MULHER
Me olho no espelho, me beijo na alma
Respiro bem fundo, penso no mundo
Lembro dos dias de FLOR, da DOR, do AMOR,
Que rapidinho me cansei do misterioso entediante no dia NULO
E como recomecei...

Tantos dias, tantos jeitos...
E eu aqui... apenas mulher!
Simples menina sem juízo
Presa no sonho construído
De poder ser soberana
Em meu próprio reinado.

É...têm dias...que tudo que quero, é ser poesia de Rainha.