quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Dias de Tormenta - Cláudia Costa

                                           

Mulher de tempestade, dias cinzas, nublados
Dias de água transbordando por todos os lados
Fora e dentro.
Dias de mar caindo das nuvens
Dias de pensamentos profundos

Um sono intenso me toma
Me leva pros braços quentes do inconsciente
Um lugar onde a racionalidade não tem vez.

Tudo se refaz em tempos de águas
Essas que movimentam meus caminhos mais escuros
Minhas faltas mais escondidas
Meus desejos esquecidos.

Chove lá fora
E aqui...
Tá tão escuro...

A saudade que esfria tudo
É a mesma que ainda me aquece o dia.
Tudo regado a palavra não dita
Que distancia

Por hoje, as águas invadem meu mundo
Transbordam em meus olhos
Lavam meus espaços
Esvaziam...

Por hoje as tempestades
De céus e mares
Movimentam desejos obscuros

Em breve, a lua muda
A tormenta passa
As nuvens voltam
A recepcionar minhas gotas

O oceano volta a dividir suas águas
As ausências amenizam seus espaços
E eu volto a caber em mim
Sem transbordar.