sábado, 4 de setembro de 2010

Dois Momentos

Teço minhas lembranças no silêncio das horas.
Ao longo da vida, ganhei e perdi.
Pessoas, sonhos, objetos que me eram caros.
Ilusões, tristezas, alegrias
Manhãs de sol, tardes alegres, noites e lágrimas
Madrugadas insones e insanas
Vivo de momentos reflexivos, sempre a perguntar, o que faço?
Que caminhos percorrer pra me achar?
A dor que vagueia em mim é profunda
Às vezes a escondo, noutras vezes ela some e depois surge repentina
Cada vez mais forte, aguda, poderosa
Ferindo meu corpo, coração e mente
Despedaço-me sempre que não sinto
Os poucos instantes mágicos que equilibram minha existência
Vazia, morna, sem cores e luzes
Raras são às vezes em que faço a transmutação
Da dor para o alivio.
Então respiro alegre, serena, tranqüila.
Como se meu passado doído não existisse pra mim.
Aproveito cada um destes flashes
Em que me vejo na plenitude de ser mulher
Completa, em Harmonia, Feliz