quarta-feira, 23 de abril de 2014

MINHA VÁRZEA! por João Maria Ludugero


MINHA VÁRZEA!
por João Maria Ludugero

Em minha Várzea me sinto tão acolhido,
Que às vezes me faltam olhos críticos
Ou de justo encantamento
- A ela pareço estar suficientemente atento .
Se viajo, outras seguram o meu olhar curioso,
Predisposto a delas gostar consentido
- Há quase sempre a intenção de voltar.
Mas é à minha Várzea que relembro,
Bendizendo o meu lugar no mundo,
Aquele que reconheço como terra
E me reconhece como astuto filho.
Várzea minha, singela terrinha bacana,
Não apenas um terno espaço físico,
Mas um conjunto de sentimentos,
Modos de ser, posturas, rezas,
Que definem a alma potiguar,



Dentro da nossa alma varzeana!

INSPIRAÇÃO: VARZEAMAR - RESPIRE ESSA IDEIA! por João Maria Ludugero


INSPIRAÇÃO: VARZEAMAR - RESPIRE ESSA IDEIA!
por João Maria Ludugero

O lema do Varzeamar,
O sossego do Vapor,
Sempre
Sempre
Dentro de nós desatados!
O Varzeamar!
Cercando
Prendendo as nossas trilhas!
Deixando o esmalte do seu salitre 
Nas faces dos varzeanos,
Beirando nas areias das nossas afoitas eiras,
Batendo a sua voz de encontro aos Seixos,
Balançando os cajueiros que vão por estas leiras.
O Varzeamar!
Repondo rezas em caras e bocas,
Deixando nos olhos dos que ficaram
A saudade resignada de lugares do interior
Que chegam até nós nas estampas das ilustrações
Nas fitas de paisagens inteiras desentristecidas
E nesse ar da tarde amena que nina aos varzeanos
Quando desembocam para ver as águas do rio Joca!
O Varzeamar!
A esperança na carta de longe
Que talvez não chegue mais!
O Varzeamar!
Saudades dos velhos habitantes 
Contando histórias do tempo
De outrora passado a limpo,
Além da água verde-musgo do açude do Calango,
Um magote de histórias da Várzea que uma vez virou cantiga.
De ruas, becos, de quatro bocas abertas desde o Riacho do Mel
Até os açoites agalopados do Itapacurá de Tio João Pequeno!
O Varzeamar!
Dentro de nós todos,
No canto do Vapor de Zuquinha,
No corpo das varzeanas morenas,
Nos coaxares dos sapos, caçotes e jias,
Num desejo da leva da viagem
Que não se findou nos sonhos de muita gente!
Este é um convite de toda a hora sem rima
Que o Varzeamar nos faz para a renovação!
Este desespero de querer partir o coração
Ao tempo de querer para sempre ficar por lá!
Inspire-se no interior.
Deixe o ar entrar.
Perceba melhor os cheiros do Varzeamar.
Sinta mais disposição no seu dia-a-dia.
Tenha momentos mais agradáveis 
Com os amigos e a família:



VARZEAME-SE!