terça-feira, 5 de abril de 2011

A pianista

Autor: Paulo Diesel



Um piano, muitas notas, o som.
Não me canso de ouvir. Ela toca divinamente e fala com Bach de uma forma que excita os que a estão observando tocar.
Concerto ao ar livre.
Sons misturados: pássaros, buzinas, carros em disparada, conversas e o piano.
Ela não se abala, concentrada, passeia pelo teclado e brinca e toca e incorpora a personagem que baila no gramado espetado no meio dos arranha-céus.
A pianista toca. A música acaba. O público se vai. Eu fico sentado, em transe, olhando o piano e sentindo o som que a pianista tocou. Ela levanta, desfila até a saída e deixa a partitura, autografada, cair.
O som, o piano, a partitura.
A pianista que se foi e, nada mais...