segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Perdas e Ganhos


Ultimamente tenho perdido coisas.
Perdi o medo da solidão - característica própria dos cowboys
Perdi o meu medo da chuva.
Perdi a vontade de ver a vida passar sem senti-la.
Mas, por outro lado, ganho o infinito que existe
No sorriso de uma criança amada.
Perdi em algum canto da memória,
Certas palavras que ouvi, desprovidas de sensibilidade e ternura.
Perdi a antiga mania de tentar evitar o inevitável,
De querer que ilusões pudessem ser reais.
Mania de tentar entender e aceitar os pensamentos das pessoas.
Cada um tem um mundo próprio, exclusivamente seu.
Mas ganho por cuidar e tornar o meu mundo,
Um lugar mais bonito e de paz
Perdi toda consciência de ter atravessado
Minutos em silêncio a me machucar
Horas de tristezas a me ferir
Dias sem alegrar a alma
Momentos em preto e branco
Ausência de cores e claridade
Ganho hoje de presente
Sempre a plena certeza de que posso
Contar comigo, com as pessoas que amo,
Contar com Deus 


Um pouco da poesia do Raul Seixas. 

Recomece

Observe a natureza.
Tudo nela é recomeço.
No lugar da poda surgem os brotos novos.
Com a água, a planta viceja novamente (renasce).
Nada pára.
A própria terra se veste diferentemente todas as manhãs.
Isso acontece também conosco.
A ferida cicatriza.
As dores desaparecem.
A doença é vencida pela saúde.
A calma vem após o nervosismo.
O descanso restitui as forças.
Recomece.
Anime-se.
Se preciso, faça tudo novamente.
Assim é a VIDA

Colaboração - Eliane França