quinta-feira, 14 de abril de 2011

Aniversário da Rosinha

Homenagem ao aniversário da Rosamaria Roma


Ciranda Da Rosa Vermelha - Alceu Valença.


Teu beijo doce
Tem sabor do mel da cana
Sou tua ama, tua escrava, teu amor

Sou tua cama, teu engenho, teu moinho
Tu és feito um passarinho
Que se chama beija-flor
Sou tua cama, teu engenho, teu moinho
Tu és feito um passarinho
Que se chama beija-flor

Sou rosa vermelha
Ai meu bem querer
Beija-flor sou tua rosa 
Hei de amar-te até morrer

Quando tu voas
Pra beijar as outras flores
Eu sinto dores
Um ciúme e um calor
Que toma o peito, o meu corpo
E invade a alma
Só meu beija-flor acalma
Tua escrava, meu senhor

Sou rosa vermelha
Ai meu bem querer
Beija-flor sou tua rosa 
Hei de amar-te até morrer

Laranjas, Pimentas, Poesia e Outros Temperos de Dar Água na Boca!


Autor: João Maria Ludugero


Dia de domingo.
Vou à feira lá na Várzea.
Descontraído, peito aberto,
Livre e solto, de calça curta
E sandália de dedo.
Eu vejo o menino Craúna
A descascar laranja,
Chupar o fruto, comer o bagaço
Me apanho envolvido naquele mundo.
Me dá vontade de trabalhar na feira!
E, mãos à obra, escrevo meu poema
Impregnado daquele aroma intenso
Que se espalha no ar
Repleto de cheiros exalados
Num montão de cores
Todas juntas e misturadas.
São cores frias, doces, amargas
Cores azedas, quentes, salgadas
Ardentes ou simplesmente neutras.
Dentro de tudo isso, respiro
Bons ares atravesso, absorto
A comer pastel com caldo de cana.
Inspirado nesses cheiros coloridos,
Continuo no engenho dos meus versos,
Sentindo cheiro de laranja cravo pera lima
E tantos outros alaranjados odores.




Não largo o pé da feira, estou dentro,
Livre no meio dessa gente humilde,
Gente com jeito feliz de levar a vida a suar, 
A pesar nas balanças Filizolas seus condimentos,
Seus temperos, seus jilós, suas especiarias.
A revender abobrinhas, amendoim,
Descascar abacaxis, espigas de milho, mandiocas
E até ofertar pimenta biquinho e anis-estrelados.
De quebra, ainda se leva dedo-de-moça
Pra atiçar o paladar, abrir o apetite.
Na venda casada, ainda se ganha  
Um refresco a escolher de brinde
Ou pode optar por uma malagueta da mulinga.
Comprando uma leva a outra de graça.
Ali há gosto por todos os lados.
Ia me esquecendo do licor de jenipapo.
Olha a laranja, quem vai querer,
Olha a pimenta, vai encarar a moça,
Ou prefere um refresco de umbu-cajá?