segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

JOÃO LUDUGERO, BEM APANHADO EM ACORDES DE SONHOS, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


JOÃO LUDUGERO, BEM APANHADO EM ACORDES DE SONHOS,
por João Maria Ludugero

Não só de manjar na lida,
Amorteço as dores consentidas, eiras por leiras,
A correr dentro e alto, sem medo da cuca esbaforida.
Mas se preciso for, eu sou de assanhar até os pelos da venta.
Exceto o amor – exceto o amor intenso pela seara da astuta vida –
não semeio outra semente, e feito destemido cultivador com afinco,
Eu me acho contente e bem apanhado em acordes de sonhos...