segunda-feira, 2 de agosto de 2010



"ESCATO(ECO)LÓGICA - POESIA"

Por Alguma Razão Qualquer
Abelhas Sugam as Flores.
Que Brotam de Galhos Fracos ou Fortes,
Sustentados Por Troncos Rijos....ou Nem Tanto.
Plantados no Solo Seco, Agreste, Úmido, Arenoso....ou Lodo.

Por Alguma Razão Qualquer
Formigas Cavam Buracos.
em Troncos, em Rochas, no Morro.....ou Num Tijolo.
Dividindo o Espaço, Com Cupins, Lesmas...ou Brotoejas.
Abrindo Canais Que Alimentam de Maneira Descontinua,
O Campo, A Colina, A Montanha....ou A Ravina.

Por Alguma Razão Qualquer
Lobos Caçam em Grupos,
e Tigres São Solitários.
Porcos Chafurdam na Lama,
Salmões Acasalam no Raso.
Ursos Ocupam o Planeta Sem Serem Domesticados,

Por Alguma Razão Qualquer,
Tempestades Refrigeram o Planeta,
Vulcões o Alimentam e Furacões o Lavam.
Os Pólos São Gelados e os Desertos Áridos.
As Florestas Úmidas e Pântanos Alagados.

Sem Qualquer Razão Alguma,
Extinguimos o Tylacino, o Auroque e Agora o Prateado Golfinho.
Queimamos Florestas, Invadimos Oceanos,
Explodimos Cavernas, Mudamos Curso de Rio.

Daqui a Alguns Séculos,
Quando Seres de Outras Paragens
(pois eles existem e virão),
Observarem o Planeta ao Longe;
Outrora Verde Azulado, a Beira da Extinção.
Tentarão Entender o Ocorrido.
Como Foi Possível Um Sistema,
Tão Perfeito e Complexo Ser Destruído.
Chegarão a Conclusão de Que Foi....
Sem Nenhuma Razão Qualquer.


Colaboração - Cãriùá Tatarana