sexta-feira, 16 de março de 2012

Somos muitos


Mais uma manhã cinzenta
Tristezas espalhadas
Em forma de sorrisos transcritos no papel amarelo

Corações atrasados
Inutilmente a procura de respostas

Somos muitos
No entanto
Somos nada
Apenas uma multidão solitária

Um suspiro
Um passo
Uma pausa

Continuo a escrever...

Mais uma noite
Corpos recolhidos
Rumores de amor
Alguém comentou
Ninguém sentiu

Vamos todos deitar
E acalmar as emoções que ainda restam