segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Estrelas


  Por Sil Villas-Boas



Falo, calo e estremeço no ato do Amor.
Rio, sofro, sonho e perdoo por Amor.
Trago no íntimo a raiz do amor.

Transbordo na paixão.
Quando transcrevo tênues linhas de versos soltos.
Versos onde revelo as emoções da alma.

Emoções que despontam em diálogos com as estrelas.  
E elas me respondem com seu cintilante brilhar.
Emoções que despertam meus anseios, saudades,  
As minhas horas perdidas sem você.

E tudo se acalma quando a emoção vem mansa, 
feito criança.

E me desperta para mostrar 
os pontos brilhantes dos teus olhos. 
A me enxergar por dentro.