terça-feira, 29 de março de 2011

SOLIDÃO

Por Paulo Diesel



Silencio...

E o sol penetra na fresta da janela.
Porta serrada. Jaula
Clausura.
Julgado e condenado
sem ser réu.
Masoquista.
O homem só não vive.
Diálogos silenciosos ressuscitam o povo que reformula questões.
Ordem erradas, momentos certos.


Gritos!!!
no primeiro degrau da escada.
Queda vertiginosa
encontram o precipício.
Labirintos sem saída.


Silencio!!!!