quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sobriedade Delirante


Por: Cláudia Costa


Na inconstância mutante dos tempos que vivo
Onde tudo ocorre mais dentro que fora de mim
Entre vícios apaixonados, histórias bobas,
Realidades cortantes.


Por dias inteiros essa louca necessidade de controle
Não há mais vinhos, não há mais vícios apaixonados,
Não há mais anestésicos que preencham meus espaços
Não há mais espaço pra fugas
Não há mais fugas possíveis na sanidade.


Há essa realidade concreta
Que leva, dói, silencia o mundo
Arrebenta tudo por onde passa
Sem passado nem futuro
Existe HOJE
Existe AGORA.


Necessidade diferente
Pra uma alma passional
É viver na corda bamba
Da imensa responsabilidade de SER
Simples e complexo assim.