sexta-feira, 24 de outubro de 2014

VÁRZEA-RN, UM CAÇUÁ DE SAUDADES, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
VÁRZEA-RN, UM CAÇUÁ DE SAUDADES,

por João Maria Ludugero

Na Várzea das Acácias
De Severino 'Silva Florêncio' Sobrinho,
Pelas quatro bocas quero morar.
Amena, seara que me nina
Levitando, pensativo, esvoaço
Nos andores do poema.
Várzea acima do Vapor.
Desde a Vargem começou,
Sem desmantelo de pelada,
Com ruas de paralelepípedos

E becos de Antonio Duaca,
Passagem de pedestre, ruas eufóricas
Em bancos de rodas de conversa
Pela rua grande de Ana do Rego.

Amável, clara Várzea.
Várzea novinha em folha
Nascendo pelas trilhas ribeirinhas
Do salobro, mas doce rio Joca.
São Pedro Apóstolo no topo
Da igreja dá a todos boas-vindas,
Sem que o padroeiro dê as costas
Para a rua do Arame de Joaquim Rosendo,
De Severina de Arcácio, de Antonio Horácio,
De Chiquinho de dona Maria de Antonio Euzébio,
De Nanuca de Palito, de Vira de Lucila de Preta
E dos meninos levados da breca, advindos do agreste verde
Crescendo pelos Umbus, Maracujá, Gado Bravo,
Formas e Seixos dos cajus e das mangas,
Além da seara do Itapacurá das pitombas
De dona Julieta Alves e das farinhadas,
Beijus, tapiocas, feijão-de-corda, água-de-coco, cocada
Puxa-puxas, quebra-queixos, grudes e sequilhos, canjicas,
Feijão-verde, maxixe, torresmos, farofa, jerimum e quiabo
Lá da casa do magnífico tio João Pequeno, toda enfeitada
De papel crepom azulado, espreguiçadeiras, redes e tamboretes,
Além da bancada de rosários e terços do altar de dona Zefinha.

Várzea das travessas, flandres, peneiras, raladores e alguidares
Na casa de farinha-de-mandioca e outros virados e temperanças,
Manipueiras, pólen, raivas, carrapichos, xerém, gomas e polvilhos.

Fermento de aurora no açude dos Cunhas,
Aonde meu pai Odilon me levava a comer goiabas
E degustar coalhadas, além de garapas de caldo-de-cana,
Sem esquecer dos melados, das rapaduras e das jabuticabas
Que detinham o sabor da vida singela e tão rica da minha Várzea

De dona Suli de Seu Nezinho de madrinha Joaninha Mulato,
Em paisagens de juncos, onze-horas, mulungus, beldroegas,
Urtigas, melancias, marmeleiros, feijão-verde, favas, maxixe,
Gergelim, canapus, verdejantes juazeiros e melões-de-São-Caetano...