domingo, 15 de setembro de 2013

"JORDANEJAR", por João Maria Ludugero.

Jordana Majella Ludugero
Jordana: ainda ontem, eras bem criança…
E olhavas “tudo”, com o ar feliz da vida!...
Do teu rosto infantil, vem-me à lembrança,
Um sinalzinho na ponta do nariz! 

Custa-me crer que a vida, tanto andou,
Ao ponto de já sermos crescidos!
E aqui estou a me lembrar de “Nós”!…
De um tempo bom assim ficou, 
Desse que pra sempre em nós ficará!

Recordo dos teus encantos de outrora:
Tuas belas tranças com laços de fita!
Dançavas, tão faceira… e tão bonita!...
Só não eras mais bonita, que “agora”,
Porque pra mim tu já nasceste bela!

Pois, teus encantos de “agora”, são
Impregnados de maturidade!…
És uma fonte acesa de carinho!...
Um relicário de compreensão! 

Ah, Jordana, se eu tivesse o dom
De revelar na tela, o pensamento,
Desenharia, à luz do sentimento,
Teu bem querer, tanto sentimento bom!…
Ó, menina linda, neta de Seu Odilon! 

E desenhava um permanente carmim 
Em tua boca, na cor preferida:
Tom rosa encarnada, retratando “vida”…
A colorir teu rosto, eternamente!…

Desenhava também, o teu olhar
Cor de arrebol em castanho… cor da lida!…
E desenhava o lindo coração
Que pulsa em teu peito, a borbulhar,
- Germinando sementes de ternura -,
Sempre amoroso, amigo e fraternal,
Que faz de Ti, ó menina, um ser especial,
De vertente alma luminosa, bela e pura!

Prodigamente, a poesia extasia;
Fecunda versos cheios de emoção!
O sentimento, é esboço em partilha;
A emoção, crescente, me estimula!…
E do meu íntimo, nasce uma cantiga
Em homenagem a Ti, minha amada filha!

Com devoção e pertinaz fervor,
Eu rogo a Deus e à Nossa Senhora,
Que tua vida, em cada nova aurora,
Seja um remanso de perene Amor
A encantar o olhar, como se fosse
Um cenário de luz e de esperança;
Palco de sonhos e de eterna dança,
Sob os acordes da canção mais doce!

Esta canção que ternamente abriga
A essência pura do teu bem querer
Como filha, irmã e querida amiga;
Como grande menina, és um grande ser…
Não tem somente a minha assinatura...
Além de mim, rubricam, com carinho,
Pessoas que, também, te amam como eu;
De todas, tens os votos de ventura,
Para que brilhe sempre em teu caminho,
Essa luz natural que Deus te deu!...

O teu sorriso inspira um lindo acorde,
E me faz crer que “sonhar é preciso”!...
Chego a pensar que o solfejar risonho
Do bem-te-vi, se afina em teu sorriso!

E sempre que eu ouço: “bem-te-vi”...
A minha alma vibra reverdecida.
Quantas vezes ouvistes, e ouvi:
“Bem te vi”, “bem te vi”, à luz da vida!...
E, radiante, ele beijou a flor da tua alma!

Quantos fins de semana, com festejos:
Matinal, matinée, brincadeiras e sonhos
Além dos nossos folguedos nunca entardecidos,
Ao sabor de poéticos arpejos
E do meu repertório de Poeta-Pai,
Que anima nossos festejos pela vida
Com a essência de versos benfazejos…
Ponto alto, onde os corações alados
Decolam, em translúcidos voejares...

É, lembrando esses ternos momentos luminosos
(Por serem muitos, - a extensão, não meço),
Que espero por dias venturosos
Para Ti e todos Nós!… Por isso, peço
Que o Supremo Arquiteto acolha e realize
Nossos inteiros pedidos, sonhos e desejos!…
E que a chama do Amor, reprise
Do colibri os líricos 'adejamentos'!

Solfeja a voz que louva e acarinha!…
Solfeja o coração que ama e diz: 
Cativante e querida Jordana Majella Ludugero,
Sejas Feliz!… Feliz!... Sempre Feliz!
Dia-após-dia, pela vida inteira!!!