segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Seja os seus Sonhos

Por Sil Villas-Boas
Imagem: Erik Johansson
Respire. Reflita. Retome seu rumo. Reassuma seu destino. Retorne à sua essência. Redija outra vez sua história. Real ou de sentimentos. Seja sua Felicidade. Seja o seu desejo. Seja plenamente Você.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Coisas que a vida ensina depois dos 40


Texto de Artur da Távola

Amor não se implora, não se pede, não se espera... Amor se vive, ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você. 
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso. 
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada. 
A criatividade caminha junto com a falta de grana. 
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar. 
Amigos de verdade nunca te abandonam. 
O carinho é a melhor arma contra o ódio. 
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida. 
Há poesia em toda a criação divina. 
Deus é o maior poeta de todos os tempos. 
A música é a sobremesa da vida. 
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente. 
Filhos são presentes raros. 
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças acerca de suas ações. 
Obrigado, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que abrem portas para uma vida melhor. 

O amor... Ah, o amor... 
O amor quebra barreiras, une facções, destrói preconceitos, cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado. 
E vive a vida mais alegremente... 

Artur da Távola - 1936/2008

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Eu Interior

Por Sil Villas-Boas

Mergulho no silêncio 
do meu eu interior

Respiro uma energia suave
Meu corpo se pacifica, 
minha alma desliza
Em momentos cintilantes 
de luz e cores

A lua me acaricia
O vento me faz livre
O mar é o meu espelho:
Denso, azul e entristecido

Sou o sonho de minhas vontades
Sou o despertar de minhas verdades
  
Calo em mim 
o medo
Calo em mim 
a ansiedade
Calo em mim 
os olhos vazios
que me olhavam.
Eles se foram 
pra sempre 

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Quem é o seu amante?

Texto de Dr. Jorge Bucay - Psicólogo
Tradução do original "Hay que buscarse un Amante"
Colaboração: Fernanda Villas-Boas  




" Muitas pessoas tem um amante e outras gostariam de ter um. Há também as que não tem, e as que tinham e perderam". 

Geralmente, são essas últimas que vem ao meu consultório, para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro, dores etc.

Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre.
Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança.

Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão", além da inevitável receita do anti-depressivo do momento.

Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que não precisam de nenhum anti-depressivo; digo-lhes que precisam de um AMANTE!!!

É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas"?!
Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais.

Aquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico o seguinte:
"AMANTE" é aquilo que nos "apaixona", é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono, é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir.

O nosso "AMANTE " é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.

Às vezes encontramos o nosso "AMANTE" em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis.

Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto....

Enfim, é "alguém!" ou "algo" que nos faz "namorar a vida" e nos afasta do triste destino de "ir levando"!.. E o que é "ir levando"? Ir levando é ter medo de viver.

É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva. 

Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão, de que talvez possamos realizar algo amanhã*. 
Por favor, não se contente com "ir levando"; procure um amante, seja também um amante e um protagonista ... DA SUA VIDA!  

(Texto postado no Blog http://potedepalavras.blogspot.com)

sábado, 22 de janeiro de 2011

Selo

Ganhei um Selinho da minha amiga Nathy
http://nathydorgas.blogspot.com/
   Regras: Falar 10 coisas sobre mim:
  1º Amo demais meus filhos. Um é Especial.
  2º Sou pernambucana
  3º Libriana e blogueira
  4º Curto cinema e praia
  5º Acredito em Deus
  6º Aprecio Poesias, Crônicas e Romances
  7º Adoroamo meus amigos virtuais
  8º Sou sincera e não aceito hipocrisia
  9º Curto demais gente bem humorada
 10º Sou fã de filmes de terror   

  Agora responder às perguntas:
- Nome: Silvana (Sil)
- Uma música: Certas Coisas (Lulu Santos)
- Humor:  considero-me bem humorada 
- Uma cor: Amarelo 
- Uma estação: Verão
- Como prefere viajar: ouvindo musica ou lendo livro
- Um seriado: CSI - Investigação Criminal 
- Frase ou palavra mais dita por você: Caraca
- Quem é o seu Amante? Algo que me dá um enorme prazer: o meu 
  Blog Jardim dos  Girassóis. 
- O que achou do selo:  Amei ! 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Meu nome é Mulher!

Para todas as MULHERES MARAVILHOSAS
e aos homens inteligentes

Eu era a Eva 
Criada para a felicidade de Adão 
Mais tarde fui Maria 
Dando à luz aquele 
Que traria a salvação 
Mas isso não bastaria 
Para eu encontrar perdão. 
Passei a ser Amélia 
A mulher de verdade 
Para a sociedade 
Não tinha a menor vaidade 
Mas sonhava com a igualdade. 
Muito tempo depois decidi: 
Não dá mais! 
Quero minha dignidade 
Tenho meus ideais! 
Hoje não sou só esposa ou filha 
Sou pai, mãe, arrimo de família 
Sou caminhoneira, taxista, 
Piloto de avião, policial feminina, 
Operária em construção.
Ao mundo peço licença 
Para atuar onde quiser 
Meu sobrenome é COMPETÊNCIA 
E meu nome é MULHER !!! 
(O Autor é Desconhecido, mas um verdadeiro sábio) 

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Por Ser Feliz

Por Sil Villas-Boas

Por Ser Feliz
Pude reencontrar meus caminhos
Reviver antigas sensações que me levitaram
Rememorar palavras que me foram presenteadas
Pude trazer de volta o infinito de um olhar perdido

Descubro as coisas que me pacificam a alma
Poetizo a vida em frases escritas e sentidas
Ando em versos de amor e de fantasia
Passeio em praias descalça
Desfruto a tarde inteira no cinema
Interajo com amigos distantes

Busco minhas verdades
Minha satisfação é primordial
Diminuo meus obstáculos
Apenas com o poder do meu sorriso

Escrevo o que sinto.
Ou pelo menos tento.
Expresso emoções, desejos, vontades e alegrias.
Descrevo sentimentos que me levam aos céus, 
E, às vezes, ao inferno.
Transcrevo sonhos
Sorrisos, lágrimas
Dores e tristezas
Melancolia e incertezas

Decifro a janela da alma.
Os olhares alheios
Recito palavras ásperas
Ditas ou recebidas
Narro os pensamentos das ruas desertas ou com multidões
E a liberdade dos ventos.

Mas tudo se transforma em mim
Quando descrevo o Amor.
Posso sentir o Amor como a energia mais pura que existe.
Energia que existe em nós e no mundo. 

Por Ser feliz
Apenas amo.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Um Pequeno Romance

Por Sil Villas-Boas

Vestido vermelho
Perfume no corpo
Cada vez mais bela
A espera do amado

E ele chega alegre
Delicadamente a toca
Delicadamente a beija
E baila pra ela
Ao som de uma música
Que paira no ar

Sempre serei tua
Sempre serás meu?
Serei para sempre teu
  
E neste doce momento
Mesmo breve
Nada pode ser mais bonito
Que o ato de amor
De uma rosa
E um beija-flor


sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Girassol



Girassol 
Por Sil Villas Boas

Em mim
Existe um campo inteiro de girassóis
Girassóis que brincam de roda em torno do sol.
Logo que a manhã começa a chegar
Os girassóis despertam apressados,  
Em sua busca para receberem o toque dos raios de sol.
Raios que aquecem suas pétalas num doce beijo.


Gira o sol em mim também
Nas vezes em que você vem
Aquecer 
As flores do meu jardim
E a mim.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Semeando Rosas


Colaboração: Silvério Reis

Uma Rainha de Portugal, de nome Isabel, ficou conhecida por sua bondade e abnegada prática da caridade.
Ocorre que seu marido, o Rei D. Diniz não gostava das excursões da Rainha, pelas ruas da miséria.
Muito menos das distribuições que ela fazia entre os pobres. Não podia admitir que uma mulher nobre deixasse o trono das honras humanas para se misturar a uma multidão de doentes, famintos e mal vestidos.
A bondosa Rainha, no entanto, burlava a vigilância de soldados e damas de companhia e buscava a dor nos casebres imundos, levando de si mesma e de tudo o mais que pudesse carregar do palácio.
Não levava servas consigo, pois isto seria pedir a elas que desobedecessem às ordens reais.
Era humilhante, segundo o seu marido, o que ela fazia. Como uma Rainha, nascida para ser servida, realizava o trabalho de criados, carregando sacolas de alimentos, roupas e remédios?
Certo dia, ele mesmo a foi espreitar. Resolveu surpreendê-la na sua desobediência. Viu quando ela adentrou a despensa do palácio e encheu o avental de alimentos. Quando ela se dirigia para os jardins do palácio, no intuito de alcançar a estrada poeirenta, nos calcanhares da fome, ele saiu apressadamente do seu esconderijo e perguntou:
Aonde vai, senhora? Ela parou, assustada no primeiro momento. E, porque demorasse para responder, ele alterou a voz e com ar acusador, indagou:
O que leva no avental? Levemente ruborizada, mas com a voz firme, ela finalmente respondeu: São flores, meu senhor! Quero ver! Disse o rei, quase enraivecido, por sentir que estava sendo enganado. Ela baixou o avental que sustentava entre as mãos e deixou que o seu conteúdo caísse ao chão, num gesto lento e delicado. Num fenômeno maravilhoso, rosas de diferentes tonalidades e intensamente perfumadas coloriram o chão. Consta que o Rei nunca mais tentou impedir a rainha da prática da caridade.

domingo, 9 de janeiro de 2011

O Momento Certo



Colaboração: Max Psycho

Toda vez que você iniciar algo, é o momento certo.
Tudo começa na hora certa: nem antes, nem depois.
Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas,
é o momento em que as coisas acontecem.
Quando algo termina, acaba realmente.
Simplesmente assim.
Se algo acabou em nossas vidas foi para a nossa evolução. 
Por isso, é melhor seguirmos em frente e nos enriquecermos
com cada experiência.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Flores na Janela


Da minha janela
Vejo flores azuis
Faço versos em tons lilás, azuis e vermelhos
Decifro a tristeza dos olhares sem cor
A vagar pelas esquinas
E a luz amarela do poste confunde-se
Com a melancólica cor amarela
E os vestígios azuis da tarde
Cedem lugar à fuga das cores.
E a noite chegou......

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Entre Mares e Portos


“Um navio no porto está a salvo. 
Mas os navios não foram feitos 
para permanecerem ancorados 
no porto".
(John A. Shedd)



Por isso vivo a navegar....
Nas palavras, versos, sons e notas musicais.
Navego entres instantes captados 
no colorido 
do teu sorriso.

Singro livre pelos mares que você possui. 
Mares que, pouco a pouco, você me revela.
Quero navegar na infinitude das horas. 
Içar as velas adormecidas do meu barco. 
Velas que acordam e se entregam felizes 
ao sopro do vento 
em seus 
tecidos leves, vaporosos.



Desejo a sensação dos marinheiros ao possuir 
a luz quente do sol no rosto.
Ou a luz fria da lua em noites estreladas no mar.
Só quero em mim a imensidão dos oceanos. 
Mergulhar em seus jardins submersos. 
Colher suas flores, plantas e corais.
Quero um mar de perigos e mistérios.
Entre o mar e o porto, escolho o mar.

O Mar é a livre incerteza dos dias.
E o Porto, a segurança dos dias iguais.

Por: Sil Villas Boas

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Saudade

Texto de Renato Cardoso.
Colaboração: Silvério Reis


Hoje venho falar da saudade.
Da saudade que sinto de um amor que um dia vivi, e que por vezes me ponho a sonhar.
Da saudade de um rosto que até então guardo na memória. Saudade de alguém especial, que com o amor completa o sentido da minha vida.  Saudade daquele olhar a me observar, me destinando centenas ondas de amor puro e verdadeiro. Saudade daquele beijo a me acarinhar, me tranqüilizando nos meus momentos mais difíceis. Saudade daqueles abraços, daquelas palavras.
Saudade, simplesmente saudade. 
Saudade de quem a vida separou.
Saudade de quem carrego no coração.
Saudade de um rosto que aos poucos vai se montando em minha memória.
Saudade daquela que amei e que muito amo.
Saudade, gosto de nostalgia misturando com o doce fascínio do amor inesquecível. Mas junto a saudade vem a certeza de que um dia, mas breve possível, essa saudade não passará de uma simples lembrança. Lembrança da saudade que um dia tive. Pois a partir deste dia aquela a quem tanto amei e amo estará ao meu lado novamente. 
Ah, se ela soubesse o quanto sinto sua falta e o quanto necessito deste reencontro. Mas a vida tratou de deixar o caminho da volta marcado. Deixou o meu semblante a face da saudade. Portanto será fácil me encontrar, serei justamente aquele que no mundo mais sente e chora por saudade. Serei aquele que reza todos os dias pela sua volta. 
Pois só a partir de então deixaria a saudade no esquecimento e passaria, realmente, a viver um lindo sonho que um dia a vida interrompeu, porém não terminou. Separou para fortalecer. Quando o reencontro acontecer, do meu rosto a saudade irá embora e a felicidade nele voltará a reinar, pois finalmente minha vida estará completa e então daríamos continuidade a uma vida, há tempos iniciada, com paz, amor, harmonia e, principalmente, união; união divina.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Faça Novo o Teu Ano

Texto de Frei Betto
Colaboração: Liya Politi
Neste ano-novo, se faça novo, reduza a sua ansiedade, regue de ternura seus sentimentos mais profundos, imprima a seus passos o ritmo das tartarugas e a leveza das garças.


Não se mire nos outros; a inveja é um cancro que mina a auto-estima, fomenta a revolta e abre no centro do coração, o buraco no qual se precipita o próprio invejoso.

Espelhe-se em si mesmo, assuma seus talentos, acredite em sua criatividade. Abrace com amor sua singularidade. Evite, porém, o olhar narciso. Seja solidário: ao estender aos outros as suas mãos, estará oxigenando a própria vida. Não seja refém de seu egoísmo.

Cuide do que fala. Não professe difamações e injúrias. O ódio destrói a quem odeia, não o odiado. Troque a maledicência pela benevolência. Comprometa-se a expressar alguns elogios por dia. Sua saúde espiritual agradecerá. 
Não desperdice sua existência hipnotizado pela TV ou navegando aleatoriamente pela internet, naufragado no turbilhão de imagens e informações que não consegue síntetizar. Não deixe que a sedução da mídia anule sua capacidade de discernir e o transforme em consumista compulsivo. A publicidade sugere felicidade e, no entanto, nada oferece senão prazeres momentâneos.
Centre sua vida em bens infinitos, nunca nos finitos. Leia muito, reflita, ouse buscar o silêncio neste mundo ruidoso. Lá encontrará a si mesmo e, com certeza, um Outro que vive em você e que quase nunca é escutado.
Cuide da saúde, mas sem a obsessão dos anoréticos e a compulsão dos que devoram alimentos com os olhos. Caminhe, pratique exercícios físicos, sem descuidar de aceitar as suas rugas e não temer as marcas do tempo em seu corpo. Freqüente também uma academia de malhar o espírito. E passe nele os cremes revitalizadores da generosidade e da compaixão.
Não dê importância ao que é fugaz, nem confunda o urgente com o prioritário. Não se deixe guiar pelos modismos. Faça como Sócrates, observe quantas coisas são oferecidas nas lojas que você não precisa para ser feliz. Jamais deixe passar um dia sem um momento de oração. Se você não tem fé, mergulhe em sua vida interior, ainda que por apenas cinco minutos.
Arranque de sua mente todos os preconceitos e, de suas atitudes, todas as discriminações. Seja tolerante, coloque-se no lugar do outro. Todo ser humano é o centro do Universo e morada viva de Deus. Antes, indague a si mesmo por que, às vezes, provoca nos outros antipatia, rejeição, desgosto. Revista-se de alegria e descontração. A vida é breve e, de definitivo, só conhece a morte.

Faça algo para preservar o meio ambiente, despoluir o ar e a água, reduzir o aquecimento global. Não utilize material que não seja biodegradável. Trate a natureza como aquilo que ela é de fato: a sua mãe. Dela você veio e a ela voltará. Hoje, vivemos do beijo que ela que nos dá continuamente na boca: ela nutre de oxigênio e alimentos a cada um de nós. Guarde um espaço em seu dia a dia para conectar-se com o Transcendente. Deixe que Deus acampe em sua subjetividade. Aprenda a fechar os olhos para ver melhor.