segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Saudade é não saber.....

Por: Sil Villas-Bôas

Olhar para dentro e ver: tudo, apenas uma ilusão de ótica.
A ilusão do horizonte, perdido nas manhãs sem cores.
Sem vôo de pássaros, nem nuvens acarinhando o sol.
Não existe nem mais a costumeira saudade:



.......Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche......
(Texto de Martha Medeiros).






As coisas que não mudei, os caminhos que não percorri 
As palavras que não disse...
Lembranças vivas de paisagens mudas.
A suavidade do fogo, a sutileza de um pensamento,
Acabaram desvanecendo-se no relógio do tempo.