sábado, 10 de maio de 2014

A TERNURA TEM PLENITUDE: MÃE! por João Maria Ludugero


A TERNURA TEM PLENITUDE: MÃE!
por João Maria Ludugero

Mãe tem a capacidade de ouvir o silêncio de uma vez por todas,
De banhar em baldes, bacias, leitos em tais aconchegos
De surtir efeitos de encher de ânimos o interior da gente
Adivinhar sentimentos a correr dentro e alto no coração
Encontrar a palavra exata nos momentos incertos.
Nos amparando quando tudo ao nosso redor parece ruir,
Sabedoria emprestada de Deus para nos proteger e arrimar.
E a sua existência é em si um ato de amor.
É plena em gerar, cuidar, nutrir, espairecer.
Amar, amar, amar... sem medida a contento.
Amar com um amor incondicional que nada espera em troca.
Afeto desmedido e incontido na mais pura e plena autenticidade.
Mãe é um ser infinito de ternura e bem-estar a se renovar na lida



Em amor tecer dores a partir de amores sempre validos a pena!