terça-feira, 31 de agosto de 2010

Gosto quando te calas


Gosto quando te calas porque estás como ausente, e me ouves de longe, minha voz não te toca.
Parece que os olhos tivessem de ti voado e parece que um beijo te fechara a boca.
Como todas as coisas estão cheias da minha alma emerge das coisas, cheia da minha alma.
Borboleta de sonho, pareces com minha alma, e te pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.
E estás como que te queixando, borboleta em arrulho.
E me ouves de longe, e a minha voz não te alcança
Deixa-me que me cale com o silêncio teu.

Deixa-me que te fale também com o teu silêncio
claro como uma lâmpada, simples como um anel.
És como a noite, calada e constelada.
Teu silêncio é de estrela, tão longínquo e singelo.
Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.
Distante e doloroso como se tivesses morrido.
Uma palavra então, um sorriso bastam.
E eu estou alegre, alegre de que não seja verdade.

Pablo Neruda

Homens Maduros


Escolha com carinho e com cuidado
as sementes que pretendes plantar
no jardim de teu coração.


Escolha com cuidado as flores
que enfeitarão o teu caminho.

Escolha com atenção
as plantas que te darão sombra e alimento.
Da tua sementeira de hoje
dependerá o sucesso dos frutos.

Do zelo na escolha das tuas sementes
dependerá a alegria da colheita farta.
Do cuidado com a plantação
dependerá a tua felicidade.

Colaboração – Silvério Reis

sábado, 28 de agosto de 2010

Ainda Lembro



Ainda lembro do último abraço que te dei.
Era noite enluarada e lembro que me segurei nos teus braços
e quase não larguei.
Por pouco não desabei, te abracei com tanta força
que meu coração encostou no seu.
Você pegou em minhas mãos geladas
e nessa hora tudo em mim impactou,
meu mundo estremeceu.
Meu coração gritava o que minha voz calava.
Eu chorava o pior dos choros, aquele que vem de dentro,
sem lágrimas.
E simplesmente não conseguia parar de te olhar.
Você ficou eu fui e nosso laço não se desfez.
Meu coração escondido carregou o seu.
Você nunca saiu de mim e eu fui sem dizer adeus.
Nunca consegui esquecer nós dois.
 Ainda penso em você sem querer
e essa lembrança atormenta a minha paz.
Não me livro do que ficou do pouco que você deixou,
do muito que se transformou.
Eu lembro de você aqui, lembro de você em mim,
lembro de nós dois a sós.
Eu lembro que depois daquele dia,
nunca mais te vi e mesmo assim, de nada esqueci.
Essa noite sonhei que o mesmo vento que me levou para longe trazia você de volta para mim.
E descobri que quando é de verdade a distância
é um detalhe miúdo que silencia a dor
e a ausência é como uma geada que se não mata,
fortalece o amor.

Colaboração – Lunna Ribeiro

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

VOTOS


Pessoas Não Vivem Só.
São Uma(s) Para Outra(s) e Com.
Matrimônio ou Qualquer Denominação que se dê, é uma Farsa.
Um Acordo Social Sustentado por duas Palavras. Imposição e Submissão.
Em qualquer sociedade é assim.
Branca, Preta, Nativa ou Marfim, e a Mestiçagem seguiu o Mau Exemplo.
Não estão (as pessoas), Atreladas a Alguém, Porque Alguém Não é Algo




JUNTO!

Pessoas (1) Ficam Juntas (2).
Permanecem Faça Chuva ou Sol, Enquanto a Convivência Permitir,
Bastaria Dizer "Quero Ficar Contigo, Pois Você Me Dá Prazer"
Assim Deveria Ser. (3).
Mas Não é.....
1) Creio que Todos os Seres.
2) Você não está Casado, Amasiado, Atrelado. Você está Junto de e Com Alguém.
3) Na Tal Escola da Vida, Estamos no Pré.

Colaboração CãRiùá - TaTaRaNa

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Gatos


Gatos são seres únicos.
Gatos são matreiros, malvados,
Malhados, pretos e pardos.
Angorás, persas, abissínios...
Gatos são sempre bonitos!
Há gatos com pele de gente
E gente com alma de gato
Existe toda espécie de gatos:
Gatos magros, gatas paridas, gatos independentes...
Gatos de botas, descalços e calientes.
Gatos sábios e insanos.
Gatos que preferem os telhados;
Gatos que preferem as ruas;
Gatos que preferem o aconchego do lar.
E há os gatos que preferem o porão, para se isolarem do mundo.
Há gatos que ficam escondidos de propósito,

ante a agonia do dono que os procura em vão...
E depois surgem das sombras, silenciosos, mas como se falassem - perdoados estão.
Há gatos ariscos e aristogatos;
Há gatos briguentos e barulhentos.
Gatos que arranham e ferem.
Gatos que dão unhadas.
Gatos que afugentam outros gatos
Só pra manterem seu território...
Há gatos agressivos e perturbadores;
Há gatos tranqüilos e carinhosos;
Há gatos engraçados que fazem estripulias;
Há gatos que vivem ronronando em busca de seus interesses...
Ate para fazer amor, os gatos são expressivos.
Alardeiam aos quatro ventos o ato,
como se quisessem fazer inveja aos outros seres vivos.
Fazem caretas, machucam, mordem-se,

mas não deixam de consumar seus instintos.
Para se conquistar a amizade felina, não há muitos segredos.
Carinho, colo, liberdade.
E torcer pra que voltem pra nos.
Se voltam, já nos escolheram como amigos.
Se não voltarem,
Deixemo-los em sua liberdade......



(Minha Primeira Poesia no Blog Pau de Dar em Doido - Postada em 26/02/2010)

A CORAGEM

A coragem não consiste em arriscar sem medo. Ao contrário!
É preciso estar convicto do que se quer para se ter coragem de agir.
Coragem, também, não se traduz por agressividade, ou atitudes intempestivas.
Na verdade, a coragem tem no seu bojo virtudes como serenidade, paciência, amabilidade e solidariedade. Para entender melhor, podemos classificar a coragem em vários tipos: a coragem física: para enfrentar situações de perigo que coloquem sua vida em risco.
Coragem de convicção: não ter medo de aceitar e propagar as suas crenças.
Coragem moral: é aquela capaz de fazer você optar pelo que é ético e justo, mesmo contrariando pessoas influentes ou até o seu circulo de amizades.
Coragem solidária é a coragem de se envolver com as necessidades dos outros. Isso mesmo! Amar o próximo requer muita coragem, sim!
Existe ainda a coragem emocional, para lidar com circunstâncias dolorosas e adversas da vida.
A coragem de criar, sem medo de inovar, de quebrar a rotina, de mudar a maneira de ver as coisas.
E o mais elevado grau de coragem: a coragem de perdoar, difícil de ser encontrada em qualquer pessoa.
Dar a outra face para o inimigo é um ato que requer coragem e amadurecimento.
(Luiz Carlos Batista da Silva)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A Espontaneidade das crianças



Havia, na revista 'Pais e Filhos', um espaço de Pedro Bloch, pediatra e teatrólogo, de coisas engraçadas que as crianças diziam. Essas historinhas são TIDAS verdadeiras:

1) - Uma menina estava conversando com a sua professora.
A professora disse que era fisicamente impossível que uma baleia engula um ser humano porque apesar de ser um mamífero muito grande, a sua garganta é muito pequena. A menina afirmou que Jonas foi engolido por uma baleia.

Irritada, a professora repetiu que uma baleia não poderia engolir nenhum ser humano; era fisicamente impossível.
A menina, então disse: Quando eu morrer e for ao céu, vou perguntar a Jonas. A professora lhe perguntou: E o que vai acontecer se Jonas tiver ido ao inferno?
A menina respondeu: Aí a senhora pergunta.

2) - Uma professora de creche observava as crianças de sua turma desenhando. Ocasionalmente passeava pela sala para ver os trabalhos de cada criança. Quando chegou perto de uma menina que trabalhava intensamente, perguntou o que desenhava.

A menina respondeu: Estou desenhando Deus.
A professora parou e disse: Mas ninguém sabe como é Deus.
Sem piscar e sem levantar os olhos de seu desenho, a menina respondeu: Saberão dentro de um minuto.

3) - Uma honesta menina de sete anos admitiu calmamente a seus pais que Luis Miguel havia lhe dado um beijo depois da aula. E como aconteceu isso? - perguntou a mãe assustada. - Não foi fácil - admitiu a pequena senhorita - mas três meninas me ajudaram a segurá-lo.

4)- Um dia, uma menina estava sentada observando sua mãe lavar os pratos na cozinha. De repente, percebeu que sua mãe tinha vários cabelos brancos que sobressaíam entre a sua cabeleira escura. Olhou para sua mãe e lhe perguntou: Porque você tem tantos cabelos brancos, mamãe? A mãe respondeu: Bom, cada vez que você faz algo de ruim e me faz chorar ou me faz triste, um de meus cabelos fica branco.

A menina digeriu esta revelação por alguns instantes e logo disse: Mãe, porque TODOS os cabelos de minha avó estão brancos?

5) - Um menino de três anos foi com seu pai ver uma ninhada de gatinhos que haviam acabado de nascer. De volta a casa, contou, com excitação, para sua mãe que havia gatinhos e gatinhas. - Como você soube disso? - perguntou a mãe. - Papai os levantou e olhou por baixo, respondeu o menino. Acho que ali estava a etiqueta.

6) - Todas as crianças haviam saído na fotografia e a professora estava tentando persuadi-los a comprar uma cópia da foto do grupo. - Imaginem que bonito será quando vocês forem grandes e todos disserem: 'ali está Catarina, é advogada', ou também 'este é o Miguel. Agora é médico'. Ouviu-se uma vozinha vinda do fundo da sala: E ali está a professora. Já morreu...

Tenham uma ótima semana.

Colaboração: Silvério Reis

quarta-feira, 18 de agosto de 2010


Incerteza

Para onde seguir se os caminhos são incertos;
e o amanhã ainda adormece no leito do futuro?
Olhar o arco-íris rabiscando os céus da fantasia refletindo tantos pensamentos,
que se embriagam na fumaça confusa da eterna busca da felicidade;
aonde os sonhos se aniquilam e a verdade não justifica os acontecimentos...
Por onde ir se nem mesmo alguém ficou para dizer adeus?
Apenas partir deixando rastros jamais reclamados pela voz que não se manifestou,
pela saudade de alguém...que não vai sentir e pelos olhos que não vão chorar implorando a volta.
Apenas avançar desarmado, para a guerra surda e vazia onde a vitória esfarrapada se atira nos braços do covarde, protestando o forte.
Por onde seguir se a opção vacila no ronco dos motores sufocando a certeza entre fumaça, sujeira, medo, angustia e o desespero..
Talvez no fim da estrada exista um herói capaz de desvendar as farsas do agora...
Mas para onde ir quando já não se sabe se seguir é estar voltando
ou seguir é estar seguindo...?
Caminhar mendigando um pouco de luz a quem vive de sol.
Colhendo flores pelos caminhos da incerteza onde os fantasmas dos sonhos,
tombam falidos nas sepulturas de seus passos...
Por onde seguir...?

Colaboração – Silvério dos Reis

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Sorrisos










Viva a vida a sorrir
Viva a vida a sonhar.
Fantasiar às vezes ajuda a suavizar a vida
Pena que a maioria das pessoas esteja tão endurecida pra entender esta frase
Algumas pessoas aprendem a utilizá-la rapidamente
Outras pessoas não conseguem assimilá-las bem.
E ainda há outras pessoas que nem ao menos podem (ou querem) praticar esta frase. Preferem a rigidez e a severidade da realidade.
Então,
compartilhe o seu melhor com todos,
mesmo para aquelas pessoas
que não te apreciam.
O seu melhor sorriso
A sua alegria
A sua paciência
O seu bom humor
O seu ouvido para escutar os amigos
A sua boca para confortar quem precisa da sua voz
E acima de tudo, compartilhe com as pessoas
o sentimento maior que existe dentro de você:
O AMOR

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Em Busca da Felicidade



Passamos a vida em busca da felicidade, procurando o tesouro escondido.

E, assim, uns fogem de casa para serem felizes
E outros fogem para casa para serem felizes.

Uns se casam para serem felizes
E outros se divorciam para serem felizes

Uns fazem viagens caríssimas para serem felizes
E outros trabalham alem do normal para serem felizes.

Uma busca infinita. Anos desperdiçados.

Nunca a lua esta ao alcance da mão,
Nunca o fruto está maduro,
Nunca o vinho está no ponto.
Sombras, lágrimas. Nunca estamos satisfeitos.
Mas, há uma forma melhor de viver!

A partir do momento em que decidimos ser felizes, nossa busca da felicidade chegou ao fim. É que percebemos que a felicidade não está na riqueza material, na casa nova, no carro novo, naquela careira, naquela pessoa.
E jamais está à venda.
Quando não conseguimos achar satisfação dentro de nós para ter alegria, estamos fadados à decepção.

A felicidade não tem nada a ver com conseguir.

Consiste em satisfazer-nos com o que temos e com o que não temos.
Poucas coisas são necessárias para fazer feliz o homem sábio, ao mesmo tempo tem que nenhuma fortuna satisfaria a um inconformado.
As necessidades de cada um de nós são poucas.
Enquanto nós tivermos alguma coisa a fazer, alguém a amar, alguma coisa a esperar, seremos felizes.

Saiba: A única fonte de felicidade esta dentro de você, e deve ser repartida.
Repartir suas alegrias é como espalhar perfumes sobre os outros: sempre
Algumas gotas acabam caindo sobre você mesmo.

Desconheço a autoria

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Borboletas - Mário Quintana



BORBOLETAS...

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... Não por serem metades, mas por serem inteiras dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Mário Quintana

segunda-feira, 2 de agosto de 2010



"ESCATO(ECO)LÓGICA - POESIA"

Por Alguma Razão Qualquer
Abelhas Sugam as Flores.
Que Brotam de Galhos Fracos ou Fortes,
Sustentados Por Troncos Rijos....ou Nem Tanto.
Plantados no Solo Seco, Agreste, Úmido, Arenoso....ou Lodo.

Por Alguma Razão Qualquer
Formigas Cavam Buracos.
em Troncos, em Rochas, no Morro.....ou Num Tijolo.
Dividindo o Espaço, Com Cupins, Lesmas...ou Brotoejas.
Abrindo Canais Que Alimentam de Maneira Descontinua,
O Campo, A Colina, A Montanha....ou A Ravina.

Por Alguma Razão Qualquer
Lobos Caçam em Grupos,
e Tigres São Solitários.
Porcos Chafurdam na Lama,
Salmões Acasalam no Raso.
Ursos Ocupam o Planeta Sem Serem Domesticados,

Por Alguma Razão Qualquer,
Tempestades Refrigeram o Planeta,
Vulcões o Alimentam e Furacões o Lavam.
Os Pólos São Gelados e os Desertos Áridos.
As Florestas Úmidas e Pântanos Alagados.

Sem Qualquer Razão Alguma,
Extinguimos o Tylacino, o Auroque e Agora o Prateado Golfinho.
Queimamos Florestas, Invadimos Oceanos,
Explodimos Cavernas, Mudamos Curso de Rio.

Daqui a Alguns Séculos,
Quando Seres de Outras Paragens
(pois eles existem e virão),
Observarem o Planeta ao Longe;
Outrora Verde Azulado, a Beira da Extinção.
Tentarão Entender o Ocorrido.
Como Foi Possível Um Sistema,
Tão Perfeito e Complexo Ser Destruído.
Chegarão a Conclusão de Que Foi....
Sem Nenhuma Razão Qualquer.


Colaboração - Cãriùá Tatarana