sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Tempo... seja legal!

Interessante como o exercício da paciência tem me fortalecido e me trazido tranquilidade. A vida é curta demais, mas nem por isso temos que ficar desesperados pra realizar tudo o que queremos, até porque seria impossível. Quando faço com calma as coisas, aprecio-as muito mais intensamente. Quero realizar muitos sonhos dos quais muitos não conseguirei, no entanto, preparo o solo e planto minhas sementes, mesmo sabendo que muitas não irão vingar, e espero pacientemente as estações certas para colher os frutos. Tem um livro, que na verdade nunca li, nem tive curiosidade de ler, mas que só o seu título já me foi de grande valia: "Não apresse o rio, ele corre sozinho". Há coisas nesse mundo que só a idéia já nos é útil. De repente senti vontade de ler este livro. Paciência. Quem sabe daqui uns cinco anos.
Lembrei da canção do Lenine:

Paciência

"Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para...
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara..." 



Comentando e criando no: http://deslizespoeticos.blogspot.com/2011/02/paciencia.html




Eu estava deslizando por ai... 
praticando minha espontaneidade... 
escrevendo o que pensava... 
Acho que essa é a melhor forma de escrever... 
com um belo estímulo... 
com o que é lindo a nossa frente...
Sentindo uma espécie de amor...
Sabendo que posso dizer o que der na telha...
Com uma exigência apenas: que seja com amor.

Assim são as pessoas...


Jogando fora suas felicidades
A espera do que acreditam ser perfeito.
Sonham
Desejam com algo que não se tem
Sem ao mesmo dar valor ao que está tão próximo aos olhos


Se reparassem ao redor
Se observassem
Notariam o quanto são afortunadas e abençoadas

A felicidade sempre está por perto
Depende de cada um

A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos.


Rosamaria Roma
twitter: @rosamariaroma