sábado, 3 de julho de 2010

METADE DE MIM


Por Sil Villas-Boas

Metade de mim é silêncio
A outra metade, palavras
Uma guarda sentimentos
A outra, cicatrizes
Transformadas em raízes
Que amargaram os bons momentos



Metade de mim sorri
A outra metade emudece
Uma esconde segredos
A outra, lembrança feitas
De imagens tão perfeitas
Que quase toco nos dedos

Metade de mim
É fantasia
Realidade
Alegria
Tristeza
É a agonia de uma
Saudade
Metade de mim
São os desejos sentidos
E (quase) nunca arrependidos

4 comentários:

nadiavida disse...

Linda!!!!! Se pudéssemos escolher só as melhores partes... O bom é que cada cantinho da gente complementa o outro. Adorei seu blog.... Um abraço e domingo maravilhoso!

Sandra Cajado disse...

Simplesmente perfeita palavras,amo passar por aqui e ler alimentos para alma.
Vejo que temos uma poetisa aqui...

Metade de mim
É fantasia
Realidade
Alegria
Tristeza
É a agonia de uma
Saudade
Metade de mim
São os desejos sentidos
E (quase) nunca arrependidos

Sempre e sempre minha linda!!!

Um beijo.

Anônimo disse...

Querida,
Você consegue demonstrar que durante toda nossa vida, temos momentos de silêncio, de palavras, de alegrias,de tristezas, de saudade e desejos.
É assim a vida. Parabéns

Odila Garcia

Helinha disse...

Que lindo, amiga!!

Eu não disse, tantas vezes, que você escreve muito bem?

Amo suas poesias, seus escritos, suas palavras...

Sua sensibilidade...

"Metade de mim
São os desejos sentidos
E (quase) nunca arrependidos"

Parabéns!! Aplausos!!

Beijos com carinho!!