sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PARA SE ROUBAR UM CORAÇÃO



Texto de Luís Fernando Veríssimo

Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa. Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado. Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente. 

Conquistar um coração de verdade dá trabalho, requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança. É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade.

Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos. 
Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes, que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago.

E então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele, vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco. 
Uma metade de alguém que será guiada por nós e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração. 

Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria. Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que?
Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós.

Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava. E é assim que se rouba um coração. Fácil não ?
Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade, a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então!

E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida afora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém...

É simples. É porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.  

8 comentários:

Brisa Marina disse...

Adorei a dica,e o blog também!

Se puder visita o meu tá!

Tô seguindo aqui e no twitter!

Sou apenas aprendiz!

Abraços

Franck disse...

Será que ainda tenho coração?!
Bjs*

หคтнყ disse...

Fantástico...
Se fomos analisar, é bem assim que acontece ♥.
Mas ultimamente toh meio que cética pra isso.
[Quem sabe um dia eu mude].

Ele, pra mim é um dos maiores escritores Brasileiros *-*

Bjão

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Luis Fernando Veríssimo é o cara!!! Sempre com idéias maravilhosas e um humor genial!

Uma das melhores definições de amor que já ouvi!

Obrigada por nos apresentar esse lindo texto em seu blog!

Beijos, com muito carinho!

ROSANA VENTURA disse...

Amo o Verissimo. Este texto é barbaro, maravilhoso!
bjosssssssss

Max Psycho disse...

Texto muito lindo, como tudo que o Verissimo faz né, parabéns pela escolha baby

Max Psycho disse...

Ótimo domingo pra ti meu anjo

Talles Azigon disse...

eu simplesmente amo amo o grande Luís Fernando Veríssimo, que alma, que grande escritor

"é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso"

acho que ainda não conquistei o meu completamente por isso sou tão ruim nessa arte