quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Inevitável

Por Sil Villas-Boas 

E quando seguia sozinha em minhas estradas vazias
E quando imaginava cores nas minhas noites em preto e branco
E quando já aceitava as dimensões de minhas ruas, 
dos meus espaços irregulares, dos meus becos estreitos....

Você retorna para mim
Com aquela tua maneira deselegante de olhar a vida:
Liberto dos seus medos.
Com tua alegria de olhos infantis.
Com tua ânsia de renovar os instantes passados
Continuas com tuas velhas manias
De tatuar teus versos no meu corpo
De sussurrar em minha boca poemas sutis
De fantasiar meus ouvidos com doces sentimentos
De povoar minha mente com tua realidade imaginária

Inevitável
Não sentir na pele as dores de tua tatuagem
Não experimentar na boca o gosto amargo dos teus poemas
Não levitar e cair, nas fantasias e ilusões do teu sorriso
Inevitável não vendar minha mente para tua voz
Inevitável é descobrir que na verdade,
Você nunca foi embora de nós.

7 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Isso, esperança é última que deixa o salão. To assim, só deixarei de acreditar qdo parar de me fazer bem!

bjs meus

sidarta disse...

Maravilhoso amiga Silvana!A maneira como vcê mergulhou na sua alma atrás de palavras que pudessem dar formas a um sentimento tão intimo e profundo...amar é quase sempre abrir uma porta para a alegria de viver e ao mesmo tempo abrir um portal pra uma triste melãncolia de saber que podemos reter sentimentos mas não a pessoas que é alvo deste mesmo sentimento

RosaMaria disse...

Oi Sil...

Hum gostei do tom...

Não há memória mais terrível do que a da PELE...

A cabeça pensa que esqueceu, o coração sente que passou, e a pele... ARDE INVULNERÁVEL ao tempo!

Beijos amiga linda!

Franck disse...

Que o inevitável se faça sempre prosa e poesia...
Bj*

หคтнყ disse...

Que lindo.
Sabe... eu quero viver um romance assim =/ rs

Bjus Sil

Suzana Martins disse...

Sil, vc é realmente incrível. Descreve sentimentos deliciosamente bem!!!

Vc e suas sentimentalidades nas pontas dos dedos... Perfeito!!!

hoje, posso dizer que meu mundo cores. Há arrepios na pele, braços e abraços, bocas e beijos.

Há muito de tudo em nós, em mim.. rs..

Beijos lina

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Inevitável relembrar amores, psixões, encontros e desencontros por meio do seu texto...

Inevitável se envolver com suas palavras e viajar por meio delas.....

Obrigada por sempre nos permitir isso, seus escritos são lindos!

Beijos, com carinho!