segunda-feira, 16 de maio de 2011

Para alegrar as segundas-feiras




Soneto de um domingo - Vinícius de Moraes
Colaboração: Sidarta Reis


Em casa há muita paz por um domingo assim. 
A mulher dorme, os filhos brincam, a chuva cai...
Esqueço de quem sou para sentir-me pai

E ouço na sala, num silêncio ermo e sem fim, 
um relógio bater, e outro dentro de mim...



Olho o jardim úmido e agreste: isso distrai 


Vê-lo, feroz, florir mesmo onde o sol não vai 


A despeito do vento e da terra que é ruim. 


Na verdade é o infinito essa casa pequena 


Que me amortalha o sonho e abriga a desventura 


E a mão de uma mulher fez simples, pura e amena.


Deus que és pai como eu e a estimas, porventura: 


Quando for minha vez, dá-me que eu vá sem pena 


Levando apenas esse pouco que não dura.

4 comentários:

Paulo disse...

Pra uma segunda, até que tá bonzinho rsrsrs.
Belo escrito do Vinícios.

Abraço, Sil

João Ludugero disse...

Eu sou fã do Poetinha. Gosto das suas poesias, muito mesmo. Leio e me sinto a passear dentro do poema. Como pode a poesia nos abrir a alma assim... isso é formidável! Uma (b)ótima semana a todos. Saúde e que venha a alegria já a partir desta segunda-feira! Beijos en/girassol/arados,
João.

Fernanda disse...

O poetinha descrevendo com ninguém a contemplação de um domingo chuvoso. Demais.

Tatiana Kielberman disse...

Que delícia de texto para iniciar a semana!!

Amei! E me senti até mais leve...

Beijos, queridos!