quinta-feira, 23 de junho de 2011

Frio

Por: Cristian Steiner

 
Luz em névoa.
Claridade apenas suficiente,
Para ir vivendo. 
É preciso estar perto da luz. 
Não há calor na solidão.
E a luz da lua não é luz dela, 
É reflexo
Do sol aceso,
Escondido de traz  do mundo.
Calma!
Haverá Sol.

9 comentários:

Teresa Cristina Martins disse...

Nossa, que poesia linda, carregada de sentimentos...vou lá conhecer o blog. bjus

Amandio disse...

De fato a luz aquece é linda a poesia um abração

Van disse...

Buscar a luz, sempre
Mas também suportar a sombra quando encobrir nossa luz até que ela brilhe de novo

Sil Villas-Boas disse...

Luz, sombra, dia, noite. São estas contradições que fazem o movimento da vida.
Belo poema, Cris
Bjusss e bom feriado.
Sil

Marília Felix disse...

Luz que quero!
Luz que trago sempre comigo!
Sol acesso que nunca apagará!

Lindo Cris!

Beijos amigos!
Beijos Sil!
Tô ansiosa paara minha estréia...
:)

Cláudia Costa disse...

Cris,

De longe as letras-pensamentos mais ajustadinhos que leio...

"Não há luz na solidão..."

Precisa mais?

Reflexões...

Perfeitas.

Bjs Cris,
Bjs carinhosos Sil.

Tatiana Kielberman disse...

Após a tempestade, sempre haverá sol...

Beijo grande, querido!
Lindos versos!!

RosaMaria disse...

Haverá Sol?

Então valerá qualquer espera.

Lindos versos, meu amigo.

Beijos

Cristian disse...

Olá,

Fico muito contente pelo carinho de vocês todos.
Obrigado.

Um forte abraço a todos os girassóis desse jardim!

Até a próxima,
Cristian