quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Poesia Inconveniente

Por: Cristian Steiner

Então a poesia é uma variável interveniente!

Na morta rotina ela vem provar que vivemos.

Um repentino raio inconveniente logo a frente,

Desperta do sono da vida que não escolhemos.

3 comentários:

Luna Sanchez disse...

Muitas vezes inquietante, desafiadora, que coloca o dedo nas nossas feridas...E por isso mesmo tão envolvente, né, Sil?

=)

Eu já estava seguindo o Pau de Dar em Doido e agora não perco o link daqui também.

Beijo grande.

Max Psycho disse...

Sil bjus e ótimo final de semana

Tatiana Kielberman disse...

Cris, querido...

Suas poesias nunca são inconvenientes... No mínimo, despertam o melhor de nós!

Beijo grande!