sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Olhos úmidos - Rosamaria Roma


Olhos úmidos
Frio na alma
Ausência latente
Um corpo vazio

Cacos espalhados...
Pessoas
Pessoa
Uma saudade

Talvez lhe deva isso
Que me ensinou a ser leve
A preencher-me com amor

A seguir em frente
Apostar nas promessas
Confiar na intuição
Render-me ao amor
Ensinou-me a sentir

Outrora cacos eram apenas cacos
Hoje se transformaram em lindos mosaicos
Onde permito a luz passar

Segure minha mão
Não me deixe solta
Tenho medo do escuro.

6 comentários:

JOSENI LIMA disse...

MARAVILHA DE POESIA!!
Aproveite pra postar no meu blog com os devidos créditos.
SUCESSO SEMPRE!!
Saúde e Paz!!
Espero sua visita!!

Sil Villas-Boas disse...

Rosita, bom dia

Veja, já é dia. A manhã está clara e ensolarada. Não precisa ter medo do escuro. Estarei sempre ao seu lado, para iluminar seu caminho. Pois te amo, querida amiga.
Boa sexta e bom final de semana.
Bjusss
Sil

Luna Sanchez disse...

Ah, eu também sinto medo do escuro, do de fora e do de dentro...

=\

Beijocas.

Sonhadora disse...

Minha querida

Temos sempre medo de alguma coisa, por vezes até de nós.
Um belo poema como sempre.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Iara disse...

Transformar cacos em mosaico, transformar palavras em poesia.
A vida fica mais leve assim
Adorei

Tatiana Kielberman disse...

E que delícia quando os olhos têm a oportunidade de ficar úmidos de paixão, de cumplicidade e de afeto para seguir em frente!!

Lindo, Rosinha...

Sempre um prazer ler você!

Beijoca grande!