terça-feira, 9 de outubro de 2012

MÃE, UM AMOR MAIS QUE PERFEITO,. por João Maria Ludugero



Eu nunca me esqueço dela,
assim como guardo Deus em meu peito, 
eu me lembro dela no meu coração
como o sol a se deitar no Calango,
num rutilar de nuvens lá em cima,
sem esquecer das tapiocas de coco 
e do caldo de cana-caiana 
no bar de Biga
ali no velho mercado 
do centro de Várzea
quando eu era pequeno.
Mas, do que eu me lembro mais
é do seu amor 
mais que perfeito,
grande como o açude,
quando eu vivia moleque feliz 
a tomar banho de bica.

Um comentário:

Janice Adja disse...

Que linda homenagem!!