quarta-feira, 17 de julho de 2013

EU DO VAZIO CHEIO, por João Maria Ludugero

Sobretudo
Quando tudo sobra 
Na estripulia
Que verte e surpreende
Feito balão colorido
Que esvoaça,
Mas se não abrigasse 
Um vazio cheio
Não subiria tão dentro 
E alto aos céus
Para fazer esbugalhar 
A contento
Meus olhos arteiros 
De menino medonho.

Nenhum comentário: