domingo, 18 de agosto de 2013

POEMA AMAR/ELO, por João Maria Ludugero.

Ao amanhecer,
Cantarei um canto de glória
Ao meu amor que renasce…
Beberei a poesia como néctar de pitanga;
Observarei o sol radiante ao imenso Amar-Elo
E brotarei a alma em flor de cajá-manga...
Ao entardecer,
Tomarei doces goles de laranja...
A me ninar na tarde amena.
Ao anoitecer,
Cantarei uma toada estrelado,
Assim emendarei o amor com afinco 
A inteirar meu coração partido…
Derramarei lágrimas alegres,
Sobreviverei para ver o amor tecer a dor
E dourarei doses de ânimo 
Prestes a cancelar as bulas..
E estarei pronto, iluminando a cura,
Para dar uma acertada rasteira 
No desesperado medo da cuca.

Nenhum comentário: