segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

ROMÃS, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ROMÃS, por João Maria Ludugero. 

Belas romãs entreabertas 
Pelo excesso dos grãos rubis, 
Eu vejo reinar a paz, toda em estouro 
Renascer de minhas descobertas! 

Se os sóis de onde reluzes, 
Ó romã de iluminada tez, 
Inteirar de lumes e altivez, 
Rompendo tuas ávidas 
E rubras sementes em tesouro, 
E se o ouro do ânimo ceder enfim 
Ante a demanda ainda mais dura 
E eclodir em gemas de carmim, 
Essa luminosa arquitetura 
Faz acordar essa alma que há em mim 

Dentro desse gostoso néctar in natura.

Nenhum comentário: