sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

BAR DO INTERIOR, por João Maria Ludugero

BAR DO INTERIOR,
por João Maria Ludugero

Dizem que eu sou cachaceiro,
Que esbanjo uma arretada dose,
Para não morrer à míngua.
Mas cachaceiro eu não sou.
Cachaceiro é quem fabrica pinga,
Eu só a consumo em dor!

Pinga gota... 
Repinga toda,
Deixa a mágoa transbordar. 
Hoje sou afluente de um rio, 
Amanhã serei um mar.
Hoje pinga pinga e sou rio,
Amanhã decidirei desaguar,
Se sou chuva ou garoa....

Mas molha, viu gente, pois
Todo homem é sua taberna 

Em benditas doses de pinga.

Nenhum comentário: