segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

FLORIPA, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
 
FLORIPA,
por João Maria Ludugero

Floripa, que terra mais bonita,
De casas aconchegantes,
De vida tranquila, pacata,
Adornada com ar colonial
As ruas abraçam a gente:
- Como vais, Galheta querida?
De moças faceiras e astutos rapazes 
Da praia Mole à Brava seara audaciosa,
Da ilha de Campeche ao Costão do Santinho, 
Mas que prato gostoso traz o 'Ostradamus'
E toda natureza que reverdece a Lagoa da Conceição.
Na praça, as velhas árvores enfeitam a vida...
Ah, adeus, cidade bendita,
Que dá saudade na gente!
Até breve, Floripa!!!

Nenhum comentário: