quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

JABUTICABAS EM POEMA, por João Maria Ludugero

 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 
 
  JABUTICABAS EM POEMA,
por João Maria Ludugero

Olhos de jabuticaba aos solavancos
Não é a cor que me perturba
Nem é  só o brilho desse olhar 
Que avança ao sol
Tão intenso, ávido e raro!
Teus olhos têm um quê 
Que me faz esbugalhar
Em magia de beija-flor ao desvario.

Feitiço em alvoroço de olhares
Que se fiam na meada do rebuliço,
Sem critério a correr dentro
Em estripulias pelo interior
Quando meu olhar adentra o teu,
E nem imagina a ideia prolixa
Além da confusão que cria!
Arritmia em galhos,
Palpitação de ideias,
Chamego e cafuné
Fora da compostura... 

Desconcentração em delícias
Ufa!Os teus olhos me tiram o ar,
Mas não me apavoro em saideira
Em alvoroço me cerco inteiro,
Na fugacidade dos teus néctares
A marejar meus olhos medonhos
A espiar teus olhos de jabuticaba!

Nenhum comentário: