domingo, 23 de março de 2014

LUDUGERÁVEL POETA, por João Maria Ludugero

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

LUDUGERÁVEL POETA,
por João Maria Ludugero

NÃO SÓ DE MANJAR OU CUBAR A LIDA,
A POESIA SE DESPIU DE MIM...
OU SERÁ QUE FUI EU QUE ME VESTI DELA?
SINTO QUE SOU PALAVRAS, VERSOS, ESTROFES.....
NÃO SOU MAIS CONSTITUÍDO DE DESERTOS...
NEM DE SILÊNCIOS.....OU MONÓLOGOS.....
SOU A EXPLOSÃO DE SENTIMENTOS CONSENTIDOS.

SOU A FORÇA DO VERBO AMAR....
SOU A SAUDADE QUE ESCORRE NOS OLHOS MAREJADOS
SOU A DOÇURA DA PALAVRA BENDITA...
SOU ALMA EM EBULIÇÃO, QUE TRANSPARECE VIDA.....
SOU ALADO, SOU PÁSSARO EM VOO RASANTE....


SOU O VENTO ERRANTE DANDO VOLTAS EM CÍRCULOS....
SOU O MUNDO....INTEIRO DESDE O INTERIOR.

SOU O RISO, SOU O CHORO INFINITO...QUE FORMA RIOS...
SOU A EIRA DO CAMINHO, A LUZ NO FIM DO TÚNEL.
AH, SOU UM BEM-TE-VIZINHO DENTRO DA CANTIGA,
SOU AQUELA LATA DE GOIABADA JÁ VAZIA
DEPOIS DA SOBREMESA 'ROMEU E JULIETA'
PERFURADA NO PREGO PRA VIRAR PENEIRA
DE AFINAR FARINHA OU COAR SUCO DE MILHO-VERDE
PRA FAZER CURAU COM LEITE DE COCO...

SOU UM CORAÇÃO QUE PULSA SANGUE AZUL,
LAVRA E ESPALHA PALAVRAS NA MINHA VEIA AORTA...
SOU A PONTE, O CAIS E A CALMARIA....
SOU O GRITO, DO MUDO....
DO CEGO O OLHAR QUE SABE SENTIR DEUS,
SOU O CICLO RECICLADO NAS BERMAS
SÓ PRA GANHAR O MUNDO A CORRER DENTRO,
SOU POESIA QUE ENTENDE TUDO...OU NADA.

SOU A CONVERSA QUE ARRIMA O UNIVERSO SEM RIMA,
COM VERSOS DE AMOR ME ESBUGALHO
SOU A CHAMA QUE AQUECE A MENTE...
SOU EU VARZEAMADO, SAINDO DE MIM,
SÓ PRA DESOPILAR O CANTO DO TÔ-FRACO
DEBAIXO DO FLORESCIDO JASMINEIRO...

SOU A CLARIDADE ESPIRITUAL...
SOU A PÁGINA, O LIVRO A SER LIDO E RELIDO,
A POESIA VIVA SE ENCONTRANDO NO MEU SER.
SOU AS TINTAS, QUE NÃO ME CABEM SÓ O CORPO...
A POESIA MINHA ROUPA ME TINGE EM AQUARELAS...
MEU ÂNIMO ESTREMECE AO VER TUDO IR PARA O PAPEL....
SOU A INSPIRAÇÃO DO DIA, SOU POESIA EM CANTO....
MEU OLHAR JÁ NÃO É SOZINHO, NO MEU AMAR-ELO
TENHO TANTO PARA TRANSPORTAR COM AFINCO.
TENHO MÃOS E BRAÇOS FEITO ASAS QUE ME LEVAM
AONDE MEU SENTIMENTO ESTÁ CONTIDO.
TENHO A POESIA ME DESPINDO TODAS AS HORAS....
E ME ENTREOLHAM A ME ILUMINAR NA LIDA ESPAIRECIDA.

SOU TRANSPARENTE, MEU INTELECTO ESTÁ ALIADO AO CORAÇÃO.
DE MIM, FAÇO SOLENE CANTIGA, SOU COMPANHIA, SOU AMANTE.
CHORO MINHAS DORES, COM TANTAS LETRAS AMORTECIDAS....
SOU INDOMÁVEL, GANHO FORÇA NA QUEDA FEITO ÁGUA,
SOU DE TODAS AS FONTES UM AFLUENTE DO RIACHO DO MEL...

SOU A VIDA QUE DESCORTINA, ROUPAGEM, ESSÊNCIA DE TUDO...
SOU AGORA O CENÁRIO, A PAISAGEM EM MOVIMENTO.
LEVO NO VENTO O TRILHAR DO INFINITO A CONTENTO.
LEVO AO MUNDO...A CORRER DENTRO E ALTO,
A PALAVRA, QUE PEDE URGÊNCIA....
EM SAIR DO MEU PEITO...
SOU A PLENITUDE DO TEMPO...
ETERNIZADO NO INSTANTE...
SOU POESIA ME ANIMANDO
E ASSANHANDO ATÉ OS PELOS DA VENTA...
ME FECUNDANDO EM GERMINAÇÃO,
ENRAIZANDO PALAVRA NA TERRA...
SOU TODO FÉRTIL E ÁVIDA SEMENTE...

FALO SOBRE TUDO QUE COMPÕE O LABIRINTO...
EM VERSOS SIMPLES, TRANSPONHO OCEANOS..
DIVAGO ABSORTO EM CADA SER FORA DO ENTE...
LARGO DE MIM...O QUE A POESIA PROVOCA....
SOU ONDA, SOU MAR...E SOU APENAS RIO
A DESAGUAR INTEIRO EM MEU SORRISO
DE MENINO LEVADO DA BRECA...
ME RENDO À POESIA...
QUE ME INVADE A SER VELHO MENINO...
NÃO SEI MAIS SER SÓ EU...MULTIPLICO-ME...
JUNTO E MISTURADO
IDEALIZO POESIA QUE ME EXORCIZA OS MEDOS DA CUCA
ILUMINANDO O ÂMBITO DA VIDA OÁSIS-MEADA
NA IRIDESCENTE LUZ INFINITA QUE ABRIGA MEU PEITO,



SEMPRE QUE MEU PENSAMENTO VIRA VERSO....

Nenhum comentário: