segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Das perguntas sem respostas


Nada sei de você.....
Para onde gosta de ir
Ou de não ir a lugar algum...
Se prefere a vida lá fora
Ou ficar dentro de ti mesmo.
Divagando pensamentos ruidosos
Ou sentimentos embutidos,
Calados, adormecidos e presos,
Nalgum canto de tua alma sem asas
Nem mesmo sei, 
Se você prefere ficar sozinho na tua estrada
Já que no meu caminho,
Passas distante.

Não pegou um atalho
Um desvio
Uma trilha
Não veio com a noite
Nem veio com o dia
Se nada sei
De você
Por que você ia querer
Saber de mim?

De você, sei quase nada.......
(Zeca Baleiro)

5 comentários:

Max Psycho disse...

Quando nada sabemos sobre algo, este algos etorna mais interessante pois podemos fantasiar o que quisermos a respeito

Suzana Martins disse...

Alguns momentos, alguns pensamentos, algumas dúvidas... sempre perguntas, algumas respostas. O querer e suas perguntas, o querer, o fazer e algumas respostas...

Beijos linda e uma excelente semana!!!

T@ty disse...

Querida...

Olha eu aquiiiii... rs

O que seria de nossa vida sem as perguntas?!

Mais do que necessárias, são estas que nos impulsionam a viver.

Se fossemos feitos de respostas... não teriamos trilhas para seguir.

O que move o mundo são os questionamentos... Se virão as respostas... Só Deus Sabe!

Agradeço todos os dias por sempre querer saber e entender mais.

Um bela reflexão... Adorei!

Beijos

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Como é linda e verdadeira a letra dessa música! Um bálsamo para aquelas dúvidas que insistem em adentrar o nosso coração quando a pessoa amada nos deixa sem respostas...

Muitas vezes, acredito que precisamos começar mudando o jeito de formular as perguntas!

Já é um bom ponto de partida, não é mesmo?

Beijos pra você!

Silvana Villas-Boas disse...

Obrigada queridos amigos por comentarem esta minha poesia. Bjusss em todos.