quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Poema de Natal - Vinicius de Moraes


Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

Poema extraído do livro "Antologia Poética", Editora do Autor - Rio de Janeiro, 1960, pág. 147.

6 comentários:

Franck disse...

Começar quarta-feira com poesia não há nada melhor...
Bjs*

Tatiana Kielberman disse...

Lindo, lindo e lindo!

Vinícius é um colírio para a alma!

Beijos, amada Sil!

Suzana Martins disse...

Ah Vinícius que mora em palavras!!!

Beijos linda!!

Boas festas!!

Leonardo B. disse...

Por minha grande falta de jeito, mas com o desejo de também partilhar o espírito desta quadra, partilho de Vitorino Nemésio, um outro Natal,

«Percorro o dia, que esmorece
Nas ruas cheias de rumor;
Minha alma vã desaparece
Na muita pressa e pouco amor.
Hoje é Natal. Comprei um anjo,
Dos que anunciam no jornal;
Mas houve um etéreo desarranjo
E o efeito em casa saiu mal.
Valeu-me um príncipe esfarrapado
A quem dão coroas no meio disto,
Um moço doente, desanimado…
Só esse pobre me pareceu Cristo.»

Com um sincero desejo de uma quadra plena,
Um imenso abraço,

Leonardo B.

Max Psycho disse...

Parabéns pela escolha, belo poema

Max Psycho disse...

E se eu te disser que ainda me sinto mal
Sabendo quem você quer
Sabendo o que te faz feliz
E se algum dia eu te ver como alguém normal
Sabendo quem você é
Sabendo que nunca quis
Ficar junto de mim
Pra sempre eu vou pedir...

Eu só queria uma chance pra falar (quebrar o silêncio)
Verdades que você nunca quis escutar (que guardo em meu peito)
E se o que eu sinto é tudo que você quer (abra seus olhos)
Porque você procura em outro alguém qualquer?
Eu sou o disco que você não quer mais ouvir
Sabendo que vai doer
Sabendo que é sobre você
Eu sou a história que você não quer mais contar
Sabendo que é sobre nós dois
E o que aconteceu depois
O nosso fim
Pra sempre eu vou pedir...