sábado, 26 de fevereiro de 2011

O Tempo












A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.




Mário de Miranda Quintana. 


Nasceu em Alegrete em 30 de julho de 1906 e faleceu em Porto Alegre em 5 de maio de 1994. 

Foi Poeta, tradutor e jornalista brasileiro. 

Fonte: http://bypoesia.blogspot.com/2009/03/o-tempo-mario-quintana.html

11 comentários:

RosaMaria disse...

Oi Sil!
Bom dia!!!

Tem frase mais sábia que essa:

"Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz"

Ficamos tão paranóicos com medo dos prós e contras, que esquecemos o nosso propósito inicial.

Que é SER FELIZ.

Parabéns pelo ótimo post.

Beijão
fica com Deus
òtimo final de semana.

Carolina Formigoni disse...

Mário Quintana é meu poeta favorito..

Gosto da simplicidade das suas palavras.

Era um apaixonado por Porto Alegre assim como eu...

E nesse poema ele fala de forma simples, de uma coisa tão simples que é o tempo... E como ele voa!

E pressionados pelo mundo somo obrigados a correr freneticamente deixando as coisas "simples" (e mais importantes) da vida passar!

Beijão!

Obrigada por trazer mais um pouco do Quintana que eu tanto gosto..

Fernanda disse...

Quintana sempre a nos mostrar com sua poesia as inúmeras possibilidades do ser humano.

Bjs

Suzana Martins disse...

Quintana é um encanto a parte...

Beijos

Guará Matos disse...

Como diria Cazuza, "O Tempo não para".

Bjs.
______
Que bom resolveu voltar, Sil.
Estava lhe esperando.
Mais beijos.

Cristian disse...

Olá Sil, querida.
Muito boa a escolha de Quintana pra postar aqui.

"Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo..."

Belo!

Bjks
Até mais.

Max Psycho disse...

Nem tem o que comentar é Mario Quintana, ai já diz tudo, bjus Sil

ROSANA VENTURA disse...

COincidentemente este é hoje o quinto Blog que visito com uma poesia ou uma frase de Quintana! Não há como errar com ele...AMO!
bjosssssssssss

O Profeta disse...

Ao meu silêncio chegou um riso
O meu desejo mora no limite da razão
Roubando os segredos do corpo
Lembro as tuas mãos como uma torrente de emoção

Lembro que enchi o vazio da tua alma
Enjauladas as asas morrem de dor
A beleza é um momento eterno
É o espelho de água onde se contempla o amor


Doce beijo

Tatiana Kielberman disse...

Querida Sil,

Linda reflexão sobre o tempo, vinda de um dos nossos grandes mestres!!

É como sempre digo... Quando D´us criou o mundo, chamou Quintana para auxiliá-lo na formação da mente humana...

Ah... o tempo! No dia em que eu entender algumas de suas facetas, prometo te contar!

Beijos, linda!

Kiro Menezes disse...

Nossa... eu tive mesmo que chorar!!!

É lindo isso!!!

Obrigada ♥